INJEÇÃO DE ÂNIMO

“Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem” (Hebreus 12.3).

Ficamos desesperados quando algo foge do nosso controle. Na tribulação, a tendência é perder o equilíbrio e a fé, mas é justamente nesses momentos que devemos parar, respirar fundo e nos lembrar que Jesus suportou aflições infinitamente maiores do que as nossas.

Ao nos lembrar das tentações as quais Jesus suportou, enxergamos Sua grandeza e poder, alimentamos nossa fé e somos preenchidos com uma injeção de ânimo. Por isso é tão importante fecharmos os olhos e pensarmos nas dificuldades que o Senhor enfrentou, ao nos depararmos com grandes desafios.

O versículo em destaque deve ser gravado em nossa memória para praticarmos isso na hora da aflição. Certamente será acionado com frequência, afinal, estamos sujeitos ao sofrimento todos os dias.

DEVOCIONAL LAGOINHA

Anúncios

A SOLUÇÃO

Em Mateus 6:25 Jesus diz “Por isso eu lhes digo que não se preocupem com a vida diária, se terão o suficiente”.

Numa ocasião, Jesus havia levado os discípulos num retiro. Daí veio a multidão faminta. Os discípulos emitiram um comando para Jesus. “Mande as multidões embora, para que possam ir aos campos e povoados vizinhos e comprar algo para comer”. Mas, Jesus deu uma tarefa a eles. “Providenciem vocês mesmos alimento para eles”.

Será que Jesus estava esperando que alguém contasse todas as possibilidades? Nós temos “cinco pães, dois peixes, e… Jesus!” Ao lado dos discípulos estava a solução para os seus problemas… mas os discípulos pararam de contar e começaram a se preocupar. E você? Você está contando seus problemas, ou contando com Cristo?

Max Lucado

 

CABEÇA ERGUIDA

Tu, Senhor, me fazes andar de cabeça erguida. (Sl 3.3.)

Se estamos de cabeça baixa, só enxergamos o chão, as tiriricas, as florzinhas, os bichinhos, o pó da terra. Se estamos de cabeça erguida, só enxergamos o céu, as árvores, as aves, as estrelas, as galáxias. Se estamos cabisbaixos, só enxergamos o visível, o palpável, a mesmice de sempre. Se estamos “cabiscimas”, só enxergamos o invisível, o além, o que o olho nunca viu nem o ouvido nunca ouviu. Se olhamos para baixo, vemos a terra se abrir para recolher o nosso corpo. Se olhamos para cima, vemos os céus se abrirem para recolher o nosso espírito.

É necessário aprender a mudar de postura, da cabeça baixa para a cabeça erguida, da atenção dada ao chão para a atenção dada aos céus, da fixação da morte para a fixação da ressurreição.

O salmista desprezava a cabeça baixa e valorizava a cabeça erguida. Dizia que era Deus quem o fazia “andar de cabeça erguida” (Sl 3.3).

De fato, Deus sabe substituir a cabeça baixa pela cabeça erguida. Ele sabe corrigir a anomalia do queixo caído. Quando Deus mostra o seu amor, a sua misericórdia, o seu perdão, o seu poder, a sua glória, a cabeça baixa se levanta. Quando Deus afasta o véu e deixa o cabeça-baixa ver o que ainda está para acontecer, a vontade de olhar para cima aumenta e a vontade de olhar para baixo diminui.

Afinal, qualquer providência para afastar para bem longe a melancolia da cabeça baixa é sempre bem-vinda.

Retirado de Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos.

OITO PASSOS

Aqui vão oito maneiras de parar a preocupação, e achar a tranquilidade.

Ore primeiro. “Lancem sobre ele toda a sua ansiedade…” (1 Pedro 5.7 NVI)
Vá com calma. “Descanse no SENHOR e aguarde por ele com paciência.” (Salmo 37.7 NVI)
Faça. Seja um que faz e não apenas que se preocupa.
Crie uma lista de preocupações. Mantenha uma lista das coisas que lhe deixaram ansioso. Quantas delas se concretizaram?
Avalie suas categorias de preocupação. Ore especificamente sobre elas.
Foque no dia de hoje. Deus resolve necessidades diárias no dia a dia.
Crie um obstáculo para as preocupações. Peça para seus amados orarem com você e por você.
Deixe Deus ser o suficiente. “Buscai o Reino de Deus acima de tudo.”
Oito passos. Tranquilidade.

Max Lucado

IMPASSES

Espero no Senhor, sim, espero nele; em sua palavra, depositei minha esperança. Salmo 130.5

O tempo de espera nem sempre é um período fácil de viver. No entanto, é com ele que aprendemos a nutrir boa esperança, sendo que neste tempo podemos testemunhar a misericórdia de Deus em nossas vidas. Ao repetir a sentença “espero”, o salmista de forma enfática demonstra a sua confiança em Deus com a mais profunda afabilidade de seu coração. A sua maneira de esperar é uma prova evidente de sua fé, pois ele aguarda pacientemente o agir de Deus em seu favor.

Somos convidados pelo salmista, a aguardar e esperar no Senhor. A mantermos viva a nossa esperança em Deus e, como cristãos aguardarmos pacientemente na certeza de que a espera não será frustrada, pois para Ele nenhum problema é grande demais e nenhum impasse, complicado demais.

Oração: Senhor, que a minha esperança seja depositada tão somente em Ti!

DEVOCIONAL DA IPIB

 

A PORTA ESTÁ ABERTA

Apocalipse 3:7 – E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre:

Escrevendo à Igreja de Filadélfia, Jesus afirmou: “Esta é a mensagem daquele que é Santo e verdadeiro. Ele tem a chave que pertence ao rei Davi: quando Ele abre, ninguém fecha – e, quando Ele fecha, ninguém abre” (Apocalipse 3:7). Nossa vida não depende de um destino caprichoso. Nossa vida e tudo o que acontece são o resultado do planejamento e da realização do Cristo.

Assumindo uma postura definitiva, Jesus declarou: “Eu venci o mundo”. Ao nos revelar esta realidade profética, o Senhor nos encoraja, diante das tribulações que vivenciamos. O mesmo Jesus que ressuscitou, antes viveu a morte, para eliminar o poder da morte em nossa existência.

O Senhor tem o controle. E quer que nossa fé seja reforçada, assimilando a realidade da vida vitoriosa que Ele nos transmite. Porque aceitamos a salvação que Cristo nos outorga, não temos necessidade de viver preocupados e abatidos. Ele abriu para nós a porta da vitória espiritual. Por causa disso, porque a porta foi aberta por Ele, nada no mundo tem o poder de fechar. O Senhor tem o controle – por isso devemos ter “bom ânimo”.

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

TEMPO ADEQUADO

“Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará.” Habacuque 2:3

Deus tinha um plano sobre a vida do povo, e o profeta Habacuque se questionava querendo entender porque Deus aparentemente não estava agindo. Então quando o Senhor lhe trouxe uma resposta, Habacuque entendeu que Deus não falha, e Ele faz cumprir Sua palavra no tempo determinado. Uma das coisas mais difíceis para nós é ter que esperar. No mundo agitado em que vivemos temos pressa para tudo, e queremos tudo para ontem. Por isso muitas vezes acabamos tomando decisões precipitadas. Devemos aprender a nos colocar na presença de Deus apresentando nossos pedidos a Ele, e aprender a esperar pela resposta com fé, pois certamente ela não tardará.

DEVOCIONAL DIÁRIO

CARGAS

Vinde a mim, 
todos os que 
estais cansados 
e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. v.28

Certo homem, dirigindo sua picape numa estrada rural, viu uma mulher levando uma carga pesada; então, parou e lhe ofereceu carona. A mulher agradeceu e subiu na carroceria da picape.

Um momento depois, o homem notou algo estranho: a mulher ainda estava segurando a carga pesada, apesar de sentada no veículo! Espantado, ele lhe disse: “Por favor, senhora, largue a sua carga e descanse. Minha picape consegue levar você e as suas coisas. Apenas relaxe.”

O que fazemos com a carga de medo, preocupação e ansiedade que frequentemente carregamos ao passar por muitos desafios da vida? Em vez de descansar no Senhor, às vezes me comporto como aquela mulher. Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28), mas já me peguei levando cargas que deveria ter repassado para Jesus Cristo.

Nós largamos as nossas cargas quando as levamos ao Senhor em oração. O apóstolo Pedro diz: “…lançando sobre [Jesus] toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 PEDRO 5:7). Por Ele cuidar de nós, podemos descansar ao aprendermos a confiar nele. Em vez de levar as cargas que nos pesam e fatigam, podemos dá-las ao Senhor e permitir que Ele as carregue.

A oração é o lugar 
onde as cargas trocam de ombros.
PÃO DIÁRIO

TEMENDO MENOS

Em Mateus 8:26, Jesus pergunta “Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé?” Esta é a uma boa pergunta. Às vezes o medo pode ser saudável. Pode impedir uma criança de atravessar uma rua movimentada. É a atitude apropriada para um edifício em chamas ou um cachorro rosnando. Medo por si só não é pecado. Mas pode levar ao pecado.

Se nós medicamos o medo com explosões de raiva, afastamento carrancudo, ou controle exagerado, nós excluímos Deus da solução. O medo pode encher o nosso mundo, mas não precisa encher os nossos corações. Sempre vai bater à porta. Mas não precisa o convidar para jantar. A promessa de Cristo é simples. Podemos temer menos amanhã do que hoje.

QUIETUDE

“Portanto não saireis apressadamente” Is 52:12

Creio que ainda não começamos a compreender o poder maravilhoso que há em estarmos quietos. Estamos sempre tão apressados — precisamos estar fazendo alguma coisa — tão apressados que corremos o perigo de não dar a Deus uma oportunidade de agir.

Podemos estar certos de que, se Deus nos diz: “Aquietai-vos”, ou:”Estai quietos”, é porque Ele vai fazer alguma coisa. Aliás, Ele já começou a fazer algo. O fato de não vermos não significa que Ele está inoperante, Deus sempre age a nosso favor.

Esta é a nossa dificuldade com respeito à vida cristã; nós queremos fazer alguma coisa — quando precisamos é deixar queEle opere em nós, e através de nós.

Deus tem um propósito eterno a nosso respeito – que sejamos semelhantes a Seu Filho. Para que isto se concretize, precisamos estar quietos em Suas mãos, esperando Sua orientação, esperando Seu agir. Ouvimos tanto falar em atividades, que desaprendemos o valor e a importância da sábia quietude.

Lettie B. Cowman, em “MANANCIAIS NO DESERTO”

O MEDO E A SEGURANÇA

 

Quando o medo manipula as nossas vidas, a segurança torna o nosso deus. Adoramos a vida sem riscos. Os que estão cheios de medo não podem amar profundamente porque o amor é arriscado. Eles não podem dar aos pobres porque a benevolência não tem garantia de retorno. Aqueles cheios de medo não podem sonhar alto. E se os sonhos deles fracassarem?

Não é de se admirar que Jesus guerreia contra o medo. Em Mateus 8:26 “Jesus se levantou e repreendeu os ventos e o mar, e fez-se completa bonança.” O mar fica tão calmo quanto uma lagoa congelada, e os discípulos estão deixados a se perguntar “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” Que tipo de homem mesmo. Transformando a hora do tufão na hora da soneca. Silenciando as ondas com uma palavra.

Max Lucado

SONHOS NÃO ENVELHECEM

sunset-629473_1280

O ano novo convida a olhar para frente, e é isso mesmo que farei agora, crendo que Deus estará comigo em cada dia desse novo ano que  começa. Com Ele, viverei novos sonhos, novos desafios, novos trabalhos e mesmo novas ilusões. O que importa é que Ele, que começou boa obra em mim, há de continuar do meu lado, o grande parceiro da minha vida.

O grande desafio do início de um ano  talvez não seja o de olhar para trás e fazer balanços nem olhar para o futuro e fazer projetos, mas aprender a olhar para Jesus, em quem se funde misteriosamente o passado, o presente e o futuro. Quanto a mim, desejo começar este novo ano com o Senhor e tentar viver cada dia nessa decisão. Que Ele tome os meus dias, que escreva neles a SUA vontade. Que Ele me deixe o seu recado e ensine-me a perceber sua presença perto de mim, dentro de mim e no mundo ao meu redor.

Dietrich Bonhoeffer, que enfrentou como ninguém tempos sombrios e que assumia uma postura otimista diante da vida, afirmou certa vez que “otimismo, entretanto, não é essencial­mente uma opinião sobre a presente situação, mas representa uma força vital, uma energia de esperança, onde outros resignam, uma resistência de manter erguida a cabeça, quando tudo parece fracassar, uma força que jamais entrega o futuro ao adversário, mas o reclama para si”. É isso, uma santa teimosia, um não entregar-se à tristeza e ao pavor.

Uma canção emblemática dos anos 1970 falava da passagem do tempo e do futuro: “Clube da Esquina”,  nessa canção, o poeta fala de alguém que um dia foi jovem, alguém que “se chamava moço”, mas que “também se chamava estrada / Viagem de ventania”, isto é, processo, movimento, um ser incompleto que “nem se lembra se olhou pra trás / Ao primeiro passo”. Mais adiante na canção se ouve a famosa frase: “também se chamavam sonhos. E sonhos não envelhecem”.

Reflita

“O que faz andar a estrada? É o sonho. Enquanto a gente sonhar a estrada permanecerá viva. É para isso que servem os caminhos, para nos fazerem parentes do futuro” (Mia Couto).

Retirado do e-book O Menino e o Reino [Gladir Cabral e João Leonel]. Editora Ultimato

VIVA 2019!

“Estou fazendo novas todas as coisas! ” Ap 21:5

Último dia do ano.

Que ao raiar de 2019, nossas bocas profiram uma oração que venha da profundeza de nosso coração, uma oração ao Deus do Universo, Aquele que criou e mantém o Cosmo, o Senhor do tempo, o Autor da vida. O Deus que se humanizou em Cristo. O Único que salva, abençoa e ama em profusão. Que essa oração seja, antes de tudo, de gratidão pelo ano que se foi e uma entrega total de nossas vidas, planos, projetos e sonhos em Suas mãos.

Sem dúvida, essa é a melhor receita para começar um novo ano. Um novo tempo. Um novo ciclo.

Que venha 2019, acima de tudo, que seja um ano em que  a boa, agradável e perfeita vontade do Pai se materialize em todas as áreas de nossas vidas, AMÉM!

OBRIGADA, SENHOR, POR TUDO. OBRIGADA POR TER TANTO A AGRADECER.

Neuma Fernandes

TÔ NEM AÍ!!!!!!

O coração nas Escrituras é a sede das emoções, dos sentimentos, por isso Paulo orienta os irmãos filipenses a colocarem suas mentes em Deus, a viverem em alegria e a buscarem a paz de Deus, a fim de guardarem suas mentes e emoções da ansiedade (Fp. 4.5,6).

A mente do mundo, isto é, sua forma de pensamento, conduz as pessoas ao desespero, à ansiedade, e, às vezes, à depressão. Para não nos deixar conduzir pelo modo do mundo ver a realidade, não podemos nos conformar (entrar na forma) com ele, antes ter a mente renovada, de acordo com a vontade de Deus, que é agradável, boa e perfeita (Rm. 12.1,2).

Se mantivermos nossas mentes em Deus, poderemos desfrutar da sua maravilhosa presença, ter a convicção de que Ele estará conosco.

Jesus reserva significativo espaço, no bojo de Seu ensino essencial, à ansiedade: o Sermão do Monte.  De fato, isoladamente, é o assunto tratado de modo mais ilustrado e longo em todo o sermão (Mateus 5 – 7).

A ansiedade é uma Droga. Uma das piores que existem. Foi por esta razão que Jesus dedicou tanta atenção a ela. Mateus 6 expressa bem a preocupação de Jesus com o poder adoecedor da ansiedade.  A ansiedade é fruto da desconfiança básica de todo homem.

O que se crê é que ele, o homem, é o responsável pela sua própria vida e saúde, enquanto é ameaçado de todos os lados, tanto pela competição horizontal, como também pelo sentimento de abandono em relação a Deus.

Daqui nascem todos os males! Então, entra em campo o time da ansiedade, com todos os seus infindos craques de angustia e surtos de insegurança e carência; e, paradoxalmente, tomado de ambição e desejos fantasiosos de segurança e poder.

Ansiedade gera neurose assim como também produz uma mente paranóica. A pessoa cai no “responsabilismo neurótico”; ou, então, entra no estado de desconfiança essencial [paranóia], amedrontada em relação ao que possui, e que pode lhe ser tirado, tanto por homens, como por doenças ou pragas invisíveis.

Ora, essas coisas nascem da ansiedade assim como a alimentam. Então a ansiedade-neurótico-paranóica gera a Síndrome do Pânico, a Hipocondria, a Depressão e os surtos de perseguição ou de angustia e medo de morrer.

A cura para esse mal é a fé. Por isso Jesus apenas mandou confiar no amor do Pai. E mostrou como é idiota pensar diferente. Afinal, pergunta Ele, quem pode o quê?

E mais do que confiar, Jesus disse que a cura total dessa ansiedade essencial vem de se buscar em primeiro lugar o reino de Deus em nós. O reino de Deus em nós! Uma leitura recomendada: Salmo 46 e Mateus 6 .

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus” é talvez a ordem divina mais difícil de ser atendida.

A dificuldade está no fato de que é Deus quem fala, mas é o homem quem tem que se aquietar, deixando o motor de suas ansiedades parar, permitindo-se levar no “automático da confiança”.

“Aquietai-vos” evoca uma decisão pessoal; uma resolução; uma consciência que abre mão do instinto aflito de auto-defesa; é uma vontade de paz; um entregar confiante da impotência pessoal, crendo que em tal paradoxo nasce o poder que realiza o impossível.

Aquietar-se em Deus é o agir pelo não agir! Em meio a tudo isso, nesse “aquietai-vos”, há também com convite ao silêncio interior.  Deus fala no silêncio!

Silêncio em Deus é quando os processos mentais se acalmam, a alma se deita aconchegada, o coração se aninha humilde, os ouvidos interiores se abrem, e nossas vozes vocais, ou não-vocais, emudecem…; sim…, é depois de tudo isso que podemos ficar abertos para ouvir Deus no silêncio…

E Ele fala. Fala dentro de nós. Fala sem palavras e sem linguagem. Fala através de sentimentos… às vezes de angustias que emulam a consciência… às vezes através de brisas, ventos, folhas que se esvoam, pássaros que cantam, estações que mudam, luares sombrios ou iluminados; bem como através de gestos, acontecimentos, inspirações, alegrias puras, gratidão, esperança, sonhos…; e, sobretudo, mediante o silêncio da Palavra, que fala sem gritar, e que admoesta em consolação.

Experimente a santa irresponsabilidade de descansar em Deus, de dizer ‘tô nem aí… está nas mãos de Deus…’; ou, ainda, experimente fazer da quietude o seu tesouro, o seu modo de vida, o seu sentir mais normal, e sua ambição mais preciosa.

Ah! Grande alegria e contentamento há na confiança que sossega e se aquieta! Quem assim faz… em fé… esse conhecerá a Deus. Sim, esse saberá em profundidade acerca do poder que emana em favor da alma que se aninha na amizade de Deus.

Bem-aventurados os que se aquietam, pois eles saberão e conhecerão quem é Deus!

PORTAL CRISTIANISMO RADICAL

É TEMPO DE SONHAR

A esperança cristã não significa deixar de ver a realidade. Antes, as dificuldades são a forja da esperança. Na verdade, a esperança bíblica é realista e olha as dificuldades com honestidade. Ela se fundamenta nas promessas de Deus, mesmo que contradigam a experiência do presente. Esperar, na Bíblia, é esperar contra a esperança (Romanos 4.18). É por isto que vivemos uma tensão até o cumprimento da promessa (Romanos 8.18-25). Nesse tempo, caminhamos pela fé, não pela vista (2Coríntios 5.7).

É tempo de sonhar. Sonhar e aguardar de Deus coisas boas é típico do cristão. A mudança verdadeira é possível, boas supresas são possíveis, acontecimentos alegres são possíveis…..Se sua fé está ancorada em Jesus, acredite no melhor, espere o melhor! Nosso futuro como crentes não tem que se desenvolver a partir do que é presentemente possível, mas daquilo que é possível para Deus. A esperança cristã é essencialmente criativa, pois espera novas coisas, boas coisas. Afinal, é Deus quem dá vida aos mortos e traz à existência coisas que ainda não existem (Romanos 14.17). A esperança é otimista no melhor sentido, pois nos abre para realidades e experiências autenticamente novas, libertando-nos do desespero e do pessimismo.

Mantenha viva a sua esperança.
“Que o Deus da esperança encha você de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que você transborde de esperança, pelo poder do Espírito Santo” (Romanos 15.13)

PORTAL PRAZER NA PALAVRA

ALEGRIA FORA DE HORA

“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.”  (Tiago 1.2-4)

Tiago, irmão de Jesus, escreveu uma carta aos cristãos que estavam sofrendo perseguição. Eles haviam sido expulsos de Jerusalém e deixado para trás seus bens, familiares e amigos. Estavam começando vida nova em outro lugar, e precisavam construir novos relacionamentos, redefinir sua carreira profissional e ainda por cima se defender dos ataques daqueles que se opunham à sua fé em Jesus Cristo.

Um dos conselhos de Tiago para aqueles cristãos em situação tão adversa foi que deveriam receber com alegria as tribulações e provações que a vida colocava diante deles. Tiago justificou seu conselho apresentando três conseqüências das tribulações.

As tribulações provam a nossa fé, isto é, revelam a qualidade dos alicerces onde construímos nossas vidas. Outra maneira de dizer isso é que as tribulações nos mostram quem de fato somos. Muitas pessoas vivem iludidas em relação a si mesmas, e por esta razão constroem suas vidas em alicerces falsos – e vice-versa. Cedo ou tarde estes alicerces são desmascarados e tudo o que está sobre eles pode ruir, como por exemplo: auto-estima, esperança, prazer de viver, relacionamentos, sonhos de futuro, carreira profissional. As situações da vida que confrontam nossos alicerces existenciais são de fato oportunidades extraordinárias para nos reinventarmos, tanto substituindo o que identificamos como inadequado, quanto no desenvolvimento do que identificamos frágil.

As tribulações produzem perseverança, isto é, nos fortalecem para enfrentar a vida. O ditado popular diz que “Deus dá o frio conforme o cobertor”. Acredito nisso. Acredito que o exercício de viver nos coloca diante de desafios proporcionais à maturidade. Uma é a dificuldade da criança, outra, do adolescente, e outra, dos adultos que já não acreditam em Papai Noel e já deixaram a prepotência juvenil de lado. As dificuldades que enfrentamos no caminho nos ajudam a encarar a vida e continuar andando rumo ao futuro desejado. À medida que vamos encarando e superando as tribulações, vamos perdendo o medo de cara feia, até que a vida mostra sua face mais terrível e se surpreende com nossa capacidade de superá-la.

Finalmente, as tribulações nos fazem pessoas maduras e íntegras, sem falta de nada. Atravessar tempos difíceis exige de nós a descoberta e o desenvolvimento de recursos interiores. As tribulações nos tiram todos os pontos externos de apoio: nos sentimos solitários, incompreendidos e injustiçados; perdemos posição, status e privilégios, além de dinheiro e conforto; e descobrimos que as bases onde escorávamos nossa identidade e as fontes de onde tirávamos forças para viver eram falsas ou insuficientes. Nesse momento, olhamos para dentro e para o alto. E descobrimos uma fé mais amadurecida, que nos aproxima mais de Deus, e recebemos a coragem de continuar vivendo.

Estranhamente, vamos percebendo que precisávamos de bem menos do que imaginávamos para a nossa felicidade, até que surpresos, nos deparamos com a sensação de que muito embora o mundo lá fora esteja em convulsão, o mundo de dentro do coração, está em paz e serenidade. Quando chegamos nesse ponto de integridade (integralidade) é que passamos a desfrutar dos poucos recursos, dos amigos raros e das pequenas alegrias do dia-a-dia como suficientes para a felicidade. Aí sim, somos homens e mulheres de verdade. Construídos na forja das tribulações. Livres das ilusões. Prontos para viver, dar e construir.

Pr Ed René Kivitz

ACALME-SE E RELAXE

Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.”  Mt 6:34

Minha definição pessoal de ansiedade é partir mentalmente de onde se está e ir para o futuro. Uma das coisas que precisamos entender é que Deus quer que aprendamos a ser pessoas que vivem o momento presente. Muitas vezes passamos o tempo no passado ou no futuro.

Precisamos aprender a viver o agora – mentalmente e também física e espiritualmente. Há uma unção para o dia de hoje. Em João 8:58, Jesus se refere a Si Mesmo como o EU SOU. Se você e eu, como Seus discípulos, tentarmos viver no passado ou no futuro, vamos ter uma vida bem difícil porque Jesus sempre estar no presente. Foi isso o que Ele quis dizer quando falou em Mateus 6:34: “Não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal”.

Jesus nos disse claramente que não precisamos nos preocupar com nada. Só temos de buscar o reino de Deus, e Ele nos acrescentará tudo o que precisamos, quer seja alimento, roupas, abrigo ou crescimento espiritual (ver Mateus 6:25-33). Não precisamos nos preocupar com o dia de amanhã, porque amanhã terá os seus próprios problemas. Precisamos concentrar nossa atenção total no dia de hoje e parar de ser tão intensos e preocupados.

Acalme-se e relaxe! Ria mais e preocupe-se menos. Pare de arruinar o dia de hoje se preocupando com o amanhã. Nós precisamos parar de perder o nosso precioso “agora”, porque ele nunca mais voltará. Da próxima vez que você for tentando a ficar ansioso ou chateado com alguma coisa – especialmente se for algo do passado ou sobre o futuro – pense no que está fazendo e volte sua atenção ao que está acontecendo hoje. Aprenda com o passado e prepara-se para o futuro, mas viva no presente.

Joyce Meyer, em “EU DESAFIO VOCÊ”

FELIZ NATAL

10041967

Natal. Mais um natal. As cidades fervilham, trânsito alterado, comércio tumultuado, pessoas alvoroçadas, é preciso comprar aquele presente…apressar o menu da ceia…dá os retoques no visual…passar mensagens de congratulações aos amigos…ligar para os mais íntimos…

É Natal. Para muitos, dia de festa, dia mágico, dia de alegria. Para outros é dia de tristeza, melancolia, saudades. É Natal, dezembro passou apressado, o ano passou acelerado, já é novamente Natal.

Mas, o mais importante não são os presentes, a confraternização; nem as frustrações, abatimentos e consternações. O mais importante é o aniversariante e a razão da Sua vinda até nós.

Deus se fez homem e veio “conviver” conosco, veio por Sua Graça revelar-se a nós, veio ser tocado, visto, escutado. Veio se mostrar para nos atrair, nos convidar a um novo relacionamento, uma nova aliança firmada no amor, e não no medo; na confiança, e não na opressão. Deus se fez homem em Cristo para que, ao reconhecermos com Senhor, Ele se faz nosso Salvador, único e suficiente.

Nada mais é preciso para receber perdão, para ganhar vida eterna. Deus veio ao mundo, isso nos garante o céu. Deus encarnou-se, “humanizou-se” por amor a cada ser humano. Cristo veio ao mundo para que espreguicemos na rede da Graça; se reconhecemos Sua missão salvadora, podemos relaxar, não há mais nada a pagar, estamos perdoados, aceitos e restaurados.

Isso é o ápice da verdadeira e substanciosa alegria, o clímax da vida. Que essa verdade contamine os corações nessa noite encantada.  Essa mensagem faz com que o natal se multiplique nos demais dias do ano – DEUS veio ao mundo por AMOR a mim(repita isso!). Repita para que ecoe em você cânticos de regozijo. Repita para que haja paz, perdão, gratidão, confraternização, acolhimento, partilha. Repita para que a dor pelas perdas e ausências, seja transformada em esperança. E que, acima de tudo, a intimidade e comunhão com o aniversariante seja real, palpável e imaculada. Isso, sim, é NATAL!

FELIZ NATAL!

Neuma Fernandes

ORAÇÃO SIMPLES E CHEIA DE FÉ

“E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos.” Mateus 6:7

Temos que aprender a confiar na oração simples e cheia de fé. Precisamos confiar que mesmo se dissermos apenas, “Deus, me ajude,” Ele ouve e vai responder nossa oração. Podemos contar que Deus será fiel em fazer o que lhe pedimos, desde que nosso pedido esteja de acordo com a Sua vontade. Muitas vezes ficamos presos nas nossas muitas palavras quando vamos orar.

Às vezes perdemos de vista o fato de que a oração é simplesmente uma conversa com Deus. A duração, o volume e a eloquência de nossa oração não é a questão; é a sinceridade do nosso coração e a confiança que temos de que Deus ouve e nos responde que é importante. Às vezes tentamos soar tão devotos e elegantes que nos perdemos. Se conseguíssemos nos livrar de tentar impressionar a Deus, estaríamos muito melhor.

A Primeira Epístola aos Tessalonicenses 5:17 diz: “Orem continuamente”, ou como diz a versão Almeida Atualizada: “Orai sem cessar”. Se não entendemos que a oração deve ser simples e cheia de fé, essa instrução pode nos parecer um fardo muito pesado de se carregar. Talvez sintamos que estamos nos saindo muito bem se orarmos por trinta minutos por dia, então, como poderíamos orar sem parar? Precisamos ter tanta confiança na nossa vida de oração a ponto da oração ser como respirar, algo que fazemos sem esforço, a cada momento que estamos vivos.

Não nos esforçamos e batalhamos para respirar, a não ser que tenhamos um problema nos pulmões, e tampouco deveríamos batalhar e ter dificuldade em orar. Acredito que não teríamos nenhum problema nessa área se realmente entendêssemos o poder de uma oração simples e cheia de fé. Deveríamos nos lembrar de que a oração é poderosa quando é sincera e sustentada pela fé.

Joyce Meyer, em “O PODER DA ORAÇÃO SIMPLES”

UM PASSO A MAIS

O que me dá esperança é que JESUS operava com qualquer vestígio de fé que uma pessoa pudesse juntar. Afinal, ELE respeitava a fé de qualquer um que pedisse, desde o centurião ousado e o incrédulo Tomé até o pai desesperado que clamou: “Creio, ajuda-me a minha incredulidade!”

Observando o amplo espectro de fé apresentado na Bíblia, imagino se as pessoas se encaixam naturalmente nos diversos tipos de fé da mesma forma que se encaixam em tipos de personalidade. E, assim como costumo pesar minhas decisões, considerando todas as possibilidades, também experimento a maldição da síndrome do “mas” sempre que leio uma promessa gloriosa na Bíblia. Costumava me sentir culpado por causa da minha falta de fé e ainda anseio por mais, mas, a cada dia sinto menos culpa pela fé tímida que tenho. Nem todo mundo é melancólico, extrovertido ou acanhado; por que achar que teríamos o mesmo tipo de fé?

Aquele pai disse: “SENHOR, eu creio. Ajuda a minha incredulidade.” É a oração mais natural, humana e aflita do Evangelho, e creio ser a base da oração de fé. A dúvida sempre anda com a fé, afinal, na certeza, quem precisa de fé? Descobri que o oposto da fé não é a dúvida, mas, o medo. Sem um elemento de risco, não há fé. Ter fé é Pôr-se à caminho sem visão clara do próximo passo. É prosseguir, confiar, agarrar-se à mão de um guia invisível. A fé é um passo que sempre está além do alcance da luz.

Philip Yancey, em “DECEPCIONADO COM DEUS”

O PEDIDO CERTO

“Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a Sua vontade, Ele nos ouvirá.” 1Jo 5:14

Nossas orações serão atendidas se orar de acordo com a vontade do Senhor. Mas como saber se nosso pedido é a vontade de Deus?

Se queremos conhecer a posição de Deus sobre nosso pedido, devemos estar dispostos a deixa-LO nos conduzir à completa neutralidade – onde realmente não importa se Ele nos atenderá ou não. Neutralidade significa que nós queremos o que Deus quer mais do que o que queremos. Isso pode exigir tempo e oração, mas é um passo essencial para descobrir a vontade de Pai.

Algumas vezes, tão logo consigamos a imparcialidade, perdemos todo o nosso desejo por aquilo. Outras vezes, Deus refreia nosso espírito sobre o pedido; simplesmente não sentimos paz em continuar pedindo. Nestes dois casos passamos a ter certeza que aquilo não era a vontade do Senhor para nossa vida.

A neutralidade remove algumas das emoções que acompanham o pedido. Quando nossas emoções são recompostas no Senhor por tornarem-se neutras, a neblina da incerteza começa a se dissipar. Como resultado, podemos ver a direção de Deus mais claramente e conheceremos Sua vontade nitidamente, então, se passamos a ter certeza que nosso pedido está de conformidade com Sua vontade, podemos continuar orando com fé, confiança e paciência.

Charles Stanley, em “RESOLVA COM ORAÇÃO”

MOVENDO MONTANHAS

Porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele” Marcos 11:23

Muitos se recusam a confiar nesta ousada promessa de Jesus. Alguns dizem que Deus já não responde a orações nesta maneira, mas o texto não indica que essas promessas fossem limitadas à época em que a frase foi afirmada. Outros dizem que isto aconteceria se tivéssemos bastante fé, mas que dificilmente alguém conseguiria conjurar tanta fé. Este ponto de vista contradiz o texto: primeiro, Jesus ressaltou, em Mateus 17, que uma pequena quantidade de fé (do tamanho de um grão de mostarda) poderia conseguir; e segundo, esta perspectiva tira a ênfase do poder do Senhor para responder, e a focaliza no poder de crer da própria pessoa. Se não vemos esta promessa como atingível, perdemos o importante auxílio do Senhor.

Jesus não está se referindo a montanhas literais, mas a obstáculos maiores e mais poderosos. As montanhas são usadas simbolicamente na Bíblia para descrever forças poderosas (Isaías 2:2), tarefas enormes (Zacarias 4:7), e barreiras impenetráveis (Isaías 41:14-16; Zacarias 14:4). O texto clássico sobre a remoção da montanha se refere à obra de João Batista, reestruturando radicalmente as vidas das pessoas para preparar para a vinda de Cristo: “Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados” (Isaías 40:4). As mudanças na paisagem, que João efetuou por sua pregação, foram muito mais fundamentais do que um equipamento para mover terra poderia cumprir.

Deus remove montanhas quando seu povo pede com fé. Ele pode remover as barreiras que inibem nosso crescimento espiritual e que retardam a expansão de sua palavra. Jamais nos sintamos limitados pelo que nossa débil força própria pode fazer; pois é Ele quem pode mover as montanhas que estão impedindo seu milagre se concretizar.

Gary Fisher, em “O CRISTO TRIUNFANTE”

LIÇÕES DE UM MARINHEIRO

Sou mais um apreciador da terra firme do que um marinheiro, mas já andei de barco o suficiente para saber qual é o segredo para encontrar terra em meio a uma tempestade: Você não mira outro barco; é claro que não fita as ondas; tem em perspectiva um objeto não afetado pelo vento – uma luz na praia – e vai em direção a ela. A luz não é afetada pela tempestade.

Ao buscar Deus, você faz o mesmo. Quando você tem em perspectiva o nosso Deus, se concentra naquele que vence qualquer tempestade que a vida pode trazer.

Como Jó, você encontra paz na dor.

Como Jó, você cobre sua boca e fica quieto.

“Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!” (Salmos 46.10). Esse versículo contém um mandamento com uma promessa.

Qual o mandamento? Parem de lutar. Cubram a boca. Dobrem os joelhos.

Qual a promessa? Vocês saberão que eu sou Deus.

O barco da fé viaja em águas tranqüilas. A crença anda nas asas da espera.

Em meio as suas tempestades diárias faça questão de ficar quieto e de ter Deus em perspectiva. Deixe que Deus seja Deus. Deixe que Ele o banhe em sua gloria para que tanto seu fôlego como seus problemas sejam absorvidos de sua alma. Fique quieto. Fique em silencio. Reserve um momento para ficar quieto e saber que ele é Deus.

Max Lucado, em “DIAS MELHORES VIRÃO”

ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Aqueles que viram Jesus – realmente o viram – reconheceram que havia algo diferente. Com o seu toque os cegos pedintes enxergaram. Com o seu comando as pernas aleijadas andaram. Com o seu abraço as vidas vazias encheram-se de planos.

Ele alimentou milhares com um cesto. Ele acalmou uma tempestade com uma ordem. Ele ressuscitou os mortos com uma declaração. Ele mudou vidas com um pedido. Ele redirecionou a história do mundo com uma vida, viveu em um país, nasceu em uma manjedoura, e morreu em um monte…

Deus fez o que nós não ousaríamos sonhar. Ele fez o que nós não poderíamos imaginar. Ele tornou-se homem para que pudéssemos confiar nele. Ele tornou-se sacrifício para que pudéssemos conhecê-lo. E ele venceu a morte para que pudéssemos segui-lo.

Isso desafia a lógica. Isso é uma insanidade divina. Uma incredibilidade santa.

Somente um Criador além dos muros da lógica poderia oferecer tal presente de amor.

É esse Deus que servimos, o DEUS de toda criação, um Deus desejoso que ousemos sonhar muito além da imaginação, porque Ele é capaz de realizar cada sonho que Ele sonha em nós.

Max Lucado, em “O APLAUSO DO CÉU”

VALE A PENA, CREIA!

Lázaro morreu. É possível que Maria tenha ido olhá-lo de madrugada bem cedo, para ver como passava, e o encontrara morto. Ou talvez tenha ocorrido à tarde quando, ambas, Marta e Maria, se achavam ao seu lado. Não importa qual tenha sido a situação; elas experimentaram aquela sensação de vazio, de desamparo, que sempre acompanha as perdas. Acabou-se, Lázaro morreu, logo os pensamentos delas se voltaram para Jesus. Por que Ele não veio? Como Ele foi capaz de ficar distante sabendo do que se passava?

Sem dúvida essas são algumas perguntas que fazemos quando clamamos ao Deus de amor, em meio ao sofrimento. A resposta a estas perguntas é a chave que abre e esclarece o mistério das dores desta vida.

Cristo tinha um objetivo nisso tudo, um objetivo tão importante que valia a pena a agonia emocional sofrida pelas irmãs. Valia a pena arriscar a destruição da fé delas. Valia a pena até que um amigo fiel morresse. O que Jesus tinha em mente era tão incrível que apesar da dor que envolvia o acontecido, o Mestre podia afirmar: “Por vocês estou contente de não ter estado lá para que vocês creiam”. Em outras palavras; “Amigos, o que vocês estão prestes a ver é tão fantástico que vale a pena o sofrimento e a morte do meu querido amigo”. E se eles eram iguais a nós, é bem provável que tenham pensado: “Como assim? O que faz isso valer a pena?”

Se um ponto ficou claro nesta história é o seguinte: algumas coisas são tão importantes para Deus, que vale a pena interromper a estabilidade e a felicidade dos seus filhos, a fim de realizá-las. Essa idéia é assustadora! Quer possamos ou não  encaixar essa verdade no nosso pensamento teológico, é impossível negar que o Filho de Deus permitiu que aqueles amigos amados sofressem por causa de um propósito superior.

Seja o que for que Deus esteja realizando em nós através do sofrimento, será sempre para o nosso bem. É a nossa reação à dor que determina a medida em que tal situação produzirá esse bem. Se confiarmos em Deus em meio às adversidades, depois de tudo concluído creremos de forma sincera e madura que valeu a pena.

Desde o início, os objetivos de Jesus quanto ao ocorrido, eram glorificar a Deus e levar as pessoas a crer Nele. A oportunidade de realizar esses propósitos compensava o sofrimento que Marta, Maria e Lázaro experimentaram. Gerar fé naquelas pessoas, criar confiança em Deus, isto era o bem que se fez através do sofrimento. Foi isso que se fez àquela família e a todos que ali estavam. No clímax da dor, as irmãs ainda se prostraram diante de Jesus, e viram um milagre retumbante acontecer, Jesus ressuscitou Lázaro – “Tudo colabora para o bem daqueles que amam a Deus”, eis um princípio irrevogável.

Diante do ocorrido a esta família, podemos olhar para nossas dores e, embora ainda não compreendamos tudo que está acontecendo, podemos crer que Ele está tecendo uma benção, ainda não sabemos que tipo de benção é, mas sabemos que é uma BENÇÃO.

Charles Stanley, em “COMO LIDAR COM O SOFRIMENTO”

AS OVELHAS E O PASTOR

A ovelha, entre todos os animais, é conhecida pela sua proverbial estupidez – um animal com  pequeníssimo senso de direção, que mal pode orientar-se sem o auxílio do pastor. Quando Jesus queria referir-se aos perdidos em termos de um animal que se perdeu, Ele falava de ovelhas desgarradas, pois quando uma ovelha se perde ela está realmente perdida.. A ovelha depende totalmente do pastor.

O que temos, então, é um quadro extremamente confortados da orientação divina. Somos lembrados de que Deus compreende que somos como ovelhas, com pouso senso de direção, que experimentam tremenda perplexidade com respeito  á Sua vontade. Mas Deus utiliza a Sua imensa iniciativa a fim de guiar-nos apesar da nossa confusão. A compreensão deste fato deve trazer-nos enorme sensação de segurança, à medida que buscamos conhecer e cumprir a vontade de Deus.

Podemos ficar livres do medo de que Deus não nos conceda a informação que precisamos para tomar decisões dentro da Sua vontade. Em João 10, Jesus admite que a orientação de Deus não é algo reservado apenas aos “heróis” cristãos, mas um dom precioso concedido a todo crente. A imagem da ovelha, certamente, não representa um herói espiritual, mas um cristão comum.

Devemos nos libertar do temor de não compreender a vontade de Deus, quando Ele a transmitir a nós. Ele promete a orientação do pastor o que significa que tomará toda responsabilidade no sentido de dirigir-nos para onde quer que vamos quando somos RECEPTIVOS a Sua liderança. Nos pontos em que nos falhe a compreensão , Ele irá providenciar as nossas circunstâncias de modo que acabemos fazendo aquilo que é o Seu agrado. Ele é simplesmente grande demais para permitir que nossa compreensão deficiente O impeça de fazer com que sigamos o curso da Sua vontade quando desejamos profundamente obedece-LO e servi-LO.

Se você deseja que a vontade de Deus seja feita na sua vida mais que tudo, confesse isso á Ele, prontifique-se a obedecê-LO e se deixe guiar pelo Senhor. Isso também exigirá de você prontidão para saber esperar Sua orientação, e sua disposição sincera para tomar as decisões que Ele deseja que você tome.

M. Blaine Smith, em “CONHECENDO A VONTADE DE DEUS”

VENCENDO AS TREVAS

Sempre que você estiver sentindo sentimentos negativos, como raiva, falta de perdão, medo, depressão, desânimo ou com a auto-estima baixa, agradeça a DEUS por ELE ser maior que isso tudo. Agradeça, pois os planos e propósitos DELE para a sua vida são bons. Agradeça-LHE por ser forte em cada área de fraqueza sua. Agradeça-LHE por ter vindo te restaurar.

Recorde tudo que DEUS É, diga-LHE: “Eu te louvo SENHOR, porque TU ÉS o meu libertador. Te agradeço SENHOR, pois TU ÉS quem me cura e és o meu provedor”.

Ao ajustar-se aos propósitos de DEUS pelo louvor, você poderá agradecer-LHE por coisas, como se elas já tivessem acontecido, coisas que você ainda não pode ver.

Por exemplo, se você estiver sentindo grande medo e desesperança, uma oração que você pode fazer é a seguinte: “SENHOR, eu não estou conseguindo superar esse sentimento, mas, tu é TODO-PODEROSO e és capaz de fazer isso acontecer. Eu te agradeço e te louvo por teu poder em minha vida”. Essa atitude é sua maior arma contra os sentimentos ruins que te impedem de ser tudo o que DEUS te criou para ser.

Stormie Omartian, em “O PODER DE ORAR A VONTADE DE DEUS”

VOANDO SEM MEDO

Alimente seus medos e sua fé morrerá de fome.

Alimente sua fé e seus medos morrerão de fome.

Jeremias fez isso. Aprenda uma lição com o profeta do Antigo Testamento. “Eu sou o homem que viu a aflição trazida pela vara da sua ira. Ele me impeliu e me fez andar na escuridão; sim, Ele voltou sua mão contra mim vez por vez, o tempo todo.” Lm 3:1-3

Jeremias estava deprimido, melancólico. Jerusalém estava cercada, sua nação coagida. Seu mundo entrou em colapso. Ele culpou Deus por sua aflição emocional.

Seu corpo doía, seu coração estava doente. Sua fé estava fraca. “Deus me sitiou e me cercou de amargura e pesar.” Lm 3:5. Jeremias se sentia num beco sem saída. “Cercou-me os muros, e não posso escapar; atou-me a pesadas correntes. Mesmo quando grito por socorro, Ele rejeita a minha oração. Ele impediu o caminho com blocos de pedra; e fez tortuosas as minhas sendas.” Lm 3:7-9

Jeremias podia dizer a altura das ondas e a velocidade dos ventos. Mas, aí percebeu com que rapidez estava afundando. Então mudou seu olhar. “Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as Suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é Sua fidelidade! Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto Nele porei a minha esperança.” Lm 3:21-24

“Todavia lembro-me também…”Deprimido, Jeremias alterou seu modo de pensar, desviou sua atenção. Tirou seus olhos da catástrofe e olhou para a s maravilhas de Deus. Rapidamente recitou um quinteto de promessas:

1 – Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos.

2 – Suas misericórdias são inesgotáveis.

3 – Elas se renovam a cada manhã.

4 – Grande é sua fidelidade.

5 – A minha porção é o Senhor.

O temporal não cessou, mas, seu desânimo sim. Assim como o de Pedro. Depois de alguns momentos jogado de um lado para o outro na água, ele virou para Cristo e implorou: “Senhor, salva-me!”. Imediatamente Ele estendeu a mão e o segurou. E disse: “Homem de pouca fé, porque você duvidou?” Mt 14:30-32.

Jesus poderia ter acalmado a tempestade horas antes. Mas não o fez. Queria ensinar a seus discípulos uma lição. Jesus poderia ter acalmado a sua tempestade  há muito tempo também. Mas não o fez. Será que Ele também quer te ensinar uma lição? Será que essa lição poderia ser algo como: “Tempestades não são uma opção, mas o medo é”?

Deus pendurou Seus diplomas no universo: Arco-íris, pores do sol, horizontes e céus estrelados. Ele registrou Suas conquistas nas Escrituras. Não estamos falando de apenas mil horas de vôo. Seu currículo inclui aberturas do Mar Vermelho; fechamento de bocas de leões; derrota de gigantes; levantamentos de Lázaros; paradas e caminhadas ao enfrentar tempestades.

A lição Dele é clara. Ele é o comandante de toda tempestade. Você está com medo da sua? Então olhe para Ele. Esse pode ser o seu primeiro, segundo ou terceiro vôo, mas certamente Ele tem bem mais experiência. Seu piloto tem um nome de guerra: “Sou Eu”.

Max Lucado, em “SEM MEDO DE VIVER”

DEUS LIDA COM IMPOSSIBILIDADES

Deus lida com impossibilidades. Nunca é tarde para Ele operar,quando um impossível Lhe é trazido em inteira certeza de fé, por alguém em cuja vida e circunstâncias precisa realizar-se o impossível para que Deus seja glorificado.

Tem sido dito muitas vezes, e com verdade, que o cristianismo é a única religião que pode resolver a questão do passado do homem. Deus pode “restituir… os anos que o gafanhoto comeu” (Jl 2.25); e Ele o fará quando pusermos toda a situação, e a nós mesmos, confiantes e sem reservas, na Sua mão. E isto, não por causa do que nós somos,mas do que Ele é. Deus perdoa, e sara, e restaura. Ele é “o Deus de todaa graça”. Louvemos o Seu nome, e confiemos Nele.

Nós temos um Deus que se deleita nos impossíveis. Nada é difícil
demais para Ele. Nós temos um Deus que reina absoluto e resoluto sobre tudo e para Ele tudo, simplesmente tudo, lhe é possível, tratável, modificável, curável e realizável.
“Crê tu nisso?” Creia e verás maravilhas!
Andrew Murray, em “A VIDA INTERIOR”

MANTENDO A CONFIANÇA

Confiança não significa “autoconfiança”. Significa “estar seguro”, “ter segurança”. O Senhor era a única fonte de segurança de Davi. É nesse ponto que o cristianismo sai da teoria e cai na prática. E você quer, mais do que tudo, ter segurança, Deus também quer isso para você.

Como Davi obterve segurança? Ele tinha uma só coisa em seu coração:

“Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR, e inquirir no seu templo. Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; por-me-ás sobre uma rocha.” Sl 27:4

Morar na casa….meditar no templo…ocultar-se no pavilhão…esconder-se no tabernáculo. Tudo isso ajuda a substituir o medo pela confiança. Parece bom demais para mim. Mas o que ele quer dizer com todas essas coisas?

Nos dias de Davi, as imagens dos salmos eram tais que estar numa casa significava estar cercado de proteção. Em nossos termos significaria comunhão consciente, e contínua, com o Senhor vivo em meio ao Seu povo.

Davi dizia: “Quando eu sair dessa caverna, sem saber de onde virão as flechas, sei que na tenda, no tabernáculo, na casa, no templo, cercado pela Tua proteção, estarei seguro. É isso que peço, Senhor: que nada quebre a nossa comunhão”.

Quando somos intimidados, quando nos falta confiança, ficamosinvariavelmente mais conscientes do problema que nos ataca do que do Senhor. Quando entramos num cenário que nos intimida devemos nos ver conscientemente na tenda, meditando no tabernáculo, contemplando a beleza do Senhor e dizendo-lhe: “No momento, Deus, não tenho nada em que me apoiar, sou todo teu.”

Nesse momento, Davi começa a orar:

“Ouve, SENHOR, a minha voz quando clamo; tem também piedade de mim, e responde-me. Quando tu disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração disse a ti: O teu rosto, SENHOR, buscarei.

Não escondas de mim a tua face, não rejeites ao teu servo com ira; tu foste a minha ajuda, não me deixes nem me desampares, ó Deus da minha salvação.” Sl 27:7-9

Esta não é uma petição morna, cada palavra é sincera. Nossa tendência é brincar com a oração. Deus diz: “Prometo a você a MINHA presença. Una-se a mim. Conte comigo e irei tirá-lo dessa situação ameaçadora.”

Respondemos com algo frio e formal: ”Tudo bem , Senhor, se quiseres, por favor me oriente, guie e dirija.”

Esse não é o tipo de oração que Deus quer!

“Senhor, agora! Eu aceito a tua Palavra. Não posso entrar nessa situação sem Ti. Responda-me, supre a minha necessidade, dá-me forças de que necessito neste exato momento.”

Você talvez pense: “Parece que Davi (e Charles) está ficando um pouco fanático”. Não acho isso. Veja o que ele diz no Salmo 27:11:

“Ensina-me, SENHOR, o teu caminho, e guia-me pela vereda direita, por causa dos meus inimigos.”

Veja agora o versículo 13:

“Pereceria sem dúvida, se não cresse que veria a bondade do SENHOR na terra dos viventes.”

“Eu jamais poderia enfrentar, Senhor, sem que estivesse ao meu lado. O desespero teria acabado comigo. Eu teria desmoronado”. Foi isso que Davi afirmou. Esta é uma verdade que serve para todos nós.

A confiança em Cristo substitui o pânico. A segurança da presença de Deus torna-se subtamente uma realidade enquanto nos entregamos nos braços eternos. As garras cruéis do medo não precisam imobilizar você. Deus não conhece limites quando se trata de libertação. Admita seu medo. Entregue-o à Ele. Coloque a pressão sobre o Senhor, Ele pode lidar com ela. Ele pode lidar com TUDO.

Charles Swindoll, em “PERSEVERANÇA”

%d blogueiros gostam disto: