COM O CORAÇÃO

Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. ROMANOS 10.10

 

Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. MARCOS 11.23

A fé – a fé genuína, a fé bíblica, segundo as Escrituras -diz respeito ao coração, e não à cabeça.

O que significa crer com o coração? O que é o coração do homem?

No contexto de Romanos 10.10, essa palavra não é uti­lizada como o órgão físico que bombeia o sangue por todo o corpo, mantendo o indivíduo vivo, mas como a parte emocional do homem, ou seja, a sede dos seus sentimentos. Você não poderia crer com o seu coração físico mais do que com a mão, o olho, o nariz, a orelha ou o pé! Considere, agora, como usamos o termo “coração” hoje em dia. O coração pode ser entendido também como cerne ou âmago; a parte fundamental, a essência.

Semelhantemente, quando Deus, em Sua Palavra, refere-se ao coração do homem, Ele está falando a respeito do centro da existência humana – do seu espírito!

Confissão: “Com meu coração, tenho fé em Deus. Não há dúvida em meu coração. De todo o meu coração, eu creio”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

Anúncios

DEIXE NAS MÃOS DE DEUS

Leia Gênesis 22:1-18

Deixar partir. Deixar para lá. Afrouxar as amarras.

Como somos melhores no sufocar do que no amar, ficamos aturdidos com a possibilidade de termos que abrir mão. Porque o soltar significa introduzir o terror do risco, o pânico de perder o controle. A despedida não pode acontecer sem um ferimento interior. O covarde coração tem medo de entregar seu estimado brinquedo. Mesmo sabendo que eventualmente teria que dizer adeus a ele.

Como abandonar um sonho; dar à criança algum espaço para crescer; ou deixar que um amigo tenha a liberdade de ser ou fazer. Quanta maturidade isso requer!

Frequentemente escondemos nosso medo de entregar nossos tesouros por temermos pela sua segurança. Mas espere. Tudo é seguro quando estamos comprometidos com o nosso Deus. Na verdade, nada está realmente seguro quando não está comprometido. Nenhuma criança, nenhum emprego. Nenhum romance. Nenhum amigo. Nenhum futuro. Nenhum sonho.

Precisa de uma prova? Confira a história de Abraão e seu filho adolescente Isaque. O velho homem amava profundamente seu filho. Esse relacionamento poderia muito bem beirar o arriscado se o pai não estivesse disposto a deixar seu filho partir. Mas, nesse momento, o pedagogo Jeová ensinou ao patriarca uma lição básica da vida.

Estava na hora de deixá-lo partir. Abraão poderia ter começado a pleitear, barganhar ou manipular, mas isso nada poderia fazer o Todo-Poderoso escolher um caminho alternativo. Não, Abraão tinha que abrir suas mãos e entregar naquele altar a única coisa que eclipsava o Filho em seu coração. Isso doeu cruelmente, além do que podemos imaginar. Mas foi eficiente.

O que Deus quer que eu faça? Que eu deixe as coisas para lá, para que Ele possa reinar sem nenhum rival. Sem nenhuma ameaça ao seu trono. E com o meu orgulho quebrantado o suficiente para que minhas mãos se tornem vazias e o meu coração aquecido.

Crescendo nas estações da vida  Charles R. Swindoll

GRANDE AUTORIDADE

Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto […] MATEUS 28.18,19 (ARA)

 

A autoridade na Terra é constituída no Nome de Jesus Cristo; autoridade que Ele obteve quando venceu Satanás e foi, posteriormente, delegada à Igreja pelo próprio Jesus Cristo.

Jesus proferiu essas palavras em Mateus 28 após Sua morte na cruz, após Seu sepultamento, após Ele ter derro­tado Satanás no inferno, após a Sua ressurreição, e após Jesus ter garantido com Seu próprio sangue a Sua entrada no Santo dos Santos celestial – porém, imediatamente antes da Sua ascensão, para sentar-Se à destra do Pai.

Jesus disse que toda a autoridade no céu e na Terra foi dada a Ele. Imediatamente, Ele investiu também a Sua Igreja na Terra com essa autoridade, ordenando: Ide, portanto […]

Marcos registrou as palavras de Jesus nessa mesma oca­sião: E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão (Mc 16.17,18).

Confissão: “A autoridade que há no Nome que está acima de todo nome foi dada à Igreja. Foi dada a mim. Tenho autoridade sobre todo o poder do inimigo”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

ADORAÇÃO EM LUGAR DO MEDO

Pedro, num ímpeto de coragem, pediu: “Mestre, se és tu mesmo, faça que eu vá até aí andando sobre a água também”. Jesus disse: “Venha”. Pedro pulou do barco e começou a caminhar sobre a água na direção de Jesus. Mas, quando ele olhou para baixo e viu as ondas batendo e fazendo barulho sob seus pés, sua tranquilidade se foi, e ele começou a afundar. “Mestre, salva-me!”, gritou. Jesus foi rápido. Alcançou Pedro, segurou-o pela mão e o censurou: “Que homem sem coragem! O que aconteceu com você?”. Os dois subiram no barco, e o vento acalmou. Os discípulos, que haviam observado tudo de dentro do barco, adoraram Jesus, exclamando: “Não há dúvida: tu és o Filho de Deus!”. (Mateus 14.28-33)

Pedro abandona o entusiasmo precipitado e bruto, tem a dúvida que o incapacita e passa à reverente adoração. Nós, como Pedro, precisamos ser resgatados dos excessos da presunção e salvos da dúvida incapacitante. Foi para adorar, não andar sobre as águas, que fomos criados.

De que maneiras você é como Pedro?

Tantas vezes, Deus, aventuro-me em coisas que estão além de minha compreensão e, em vez de confiar que tu irás me dominar e dirigir, olho para as probabilidades impossíveis e dificuldades terríveis e afundo perigosamente. “Mestre, salva-me!” Amém.

 Retirado de Um Ano com Jesus [Eugene H. Peterson].

A VONTADE DE DEUS

Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.” JOÃO 6.38

Curar os enfermos é da vontade de Deus.

Apesar disso, os cristãos que necessitam da cura têm-me dito: “Talvez Deus tenha colocado essa enfermidade sobre mim com algum propósito”.

Jesus já colocou alguma doença em alguém? Quando as pessoas iam a Jesus a fim de serem curadas, será que Ele chegou a mandar embora uma única pessoa, dizendo: “Não, não é da Minha vontade. Sofra um pouco mais e espere até que a sua piedade fique suficientemente aprofundada”?

Não! Nem uma vez!

Você deseja saber como Deus é? Olhe para Jesus. Você quer ver Deus operando? Olhe para Jesus! Jesus andava por toda parte fazendo as pessoas adoecerem? Não! Ele fazia o bem e as curava (At 10.38). Você quer conhecer a vontade de Deus? Olhe para Jesus. Jesus é a vontade de Deus em ação.

Podemos orar com grande confiança, pedindo a cura e sabendo que é a vontade de Deus!

Confissão: “Quando oro pela cura, sei que oro segundo a vontade de Deus. A vontade de Deus é que tenhamos aquilo que Jesus pagou por nós. Logo, estou confiante de que Deus me ouve. E, visto que sei que Deus me ouve, acredito que receberei aquilo que Lhe pedi. Dou graças a Ele por isso!”

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

 

BOA MEDIDA TRANSBORDANTE

“Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Lucas 6:38

Deus estabeleceu o princípio de plantio e colheita em todos os sentidos da vida, na natureza é muito evidente, podemos ver o plantio de uma semente e o modo como ela nasce e se multiplica dando seu fruto. O mesmo princípio vale para os recursos que o Senhor nos deu para administrar e também para compartilhar. A generosidade é um dom de Deus, quando abençoamos alguém estamos praticando o amor, Deus se alegra disso e derrama sobre nós uma boa medida, sacudida, recalcada e transbordante !!!

Oração: Pai querido, ensina-me a abençoar a vida das pessoas ao meu redor, mostra-me como devo abençoar estas pessoas, derrama sobre mim o Espírito Santo para que eu tenha o dom para compartilhar e o dom para amar. Perdoa-me pelo apego que muitas vezes eu tenho tido pelas coisas materiais, que pertencem a este mundo, e não tem significado eterno e verdadeiro. Quero a partir de hoje ser um abençoador do Senhor, um instrumento nas Suas mãos, quero ser usado por Ti, para alcançar outras vidas através do Seu amor. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

DEVOCIONAL DIÁRIO

NÃO HÁ DEUS COMO O NOSSO

“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera.”

Isaías 64:4

Que maravilha saber que temos um Deus que trabalha em nosso favor, sempre reservando o melhor para nós, oferecendo aquilo que é bom, perfeito e agradável!

Como seus filhos, podemos experimentar a atuação dEle em nossa vida, mas precisamos saber esperar nEle, confiando no seu braço forte e não na nossa autossuficiência.

Saber ESPERAR é um dos segredos de vivermos plenamente com Deus. É um desafio aprender a viver a espera. Se estivermos ansiosos, apressados e formos precipitados, estamos dizendo, mesmo que sem palavras, que sabemos “trabalhar” melhor do que Deus e, com isso, colocamos tudo a perder.

Temos um Deus Todo-Poderoso que age em nosso lugar, que abre caminhos, que interfere nas situações necessárias para que sejamos beneficiados. E a nossa parte? Entrar no descanso.

Ao entrarmos no descanso, conseguiremos esperar o tempo necessário para vermos cada promessa de Deus se cumprindo.

Hélio Peixoto

PACIÊNCIA E ENTENDIMENTO

A paciência é um fruto do Espírito. Ela produz o fruto de amor, alegria, paz, paciência! Você já pediu a Deus para lhe dar fruto? Bem, eu já uma vez, mas… Mas, o quê? Será que você… ficou impaciente? Ele não ficará impaciente com você rogando, e você receberá paciência em suas orações.

Enquanto você estiver orando, peça entendimento. “O homem paciente dá prova de grande entendimento.” (Provérbios 14:29). Será que sua impaciência vem de uma falta de entendimento? A paciência sempre pega carona com o entendimento. “O que tem entendimento refreia a língua.” (Provérbios 11:12). Antes que você estoure, escute. Antes que você ataque, preste atenção. Antes de qualquer outra coisa… o amor é paciente!

Deus está sendo paciente com você (2 Pedro 3:9) E se Deus está sendo paciente com você, será que você não pode repassar a paciência para os outros? Claro que você pode! Porque antes que o amor é qualquer outra coisa, ele é paciente!

TEMPOS MUITO DIFÍCEIS

Fizeste passar o teu povo por tempos difíceis. (Sl 60.3.)

De quem é o povo que está passando por tempos difíceis? Quem é a pessoa que fez esse povo passar por tempos difíceis? As duas perguntas têm uma só resposta: Deus.

Partindo do princípio de que “Deus é amor” (1Jo 4.8), não é estranho que ele faça o seu próprio povo passar por tempos difíceis. Além do mais, ele é soberano e faz o que bem entende, como, por exemplo, no caso dos gêmeos de Rebeca e Isaque: “Amei Jacó, mas rejeitei Esaú” (Rm 9.13).

“Tempos difíceis” às vezes são a conseqüência natural de uma conduta infeliz e equivocada. Depois do adultério e do assassinato de Urias, Davi passou por um longo e árduo período de “tempos difíceis”.

A explicação de Paulo é por demais oportuna: “O que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição” (Gl 6.7,8).

A maturidade espiritual, o aperfeiçoamento do caráter, o crescimento da fé e muitas outras conquistas no que diz respeito ao aumento da comunhão do pecador regenerado com Deus têm muito a ver com os “tempos difíceis”. “Quando se retira a escória da prata”, explicam os Provérbios de Salomão, “nesta se tem material para o ourives” (Pv 25.4). Ora, a escória só se separa da prata no cadinho e a temperaturas elevadas. Daí se diz que o crisol (o mesmo cadinho) serve para produzir e evidenciar as boas qualidades de uma pessoa.

Em outro poema, o salmista chega a dar graças pelos “tempos difíceis”. “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que eu aprendesse os teus decretos” (Sl 119.71, RA).

Precisamos aprender a dar graças pelos tempos difíceis. Foram eles que arrancaram o filho pródigo do chiqueiro de porcos e o trouxeram de volta para a casa paterna (Lc 15.11-32).

Retirado de Refeições Diárias com o Sabor

FONTE DE VITÓRIA

“Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, mas o Senhor é que dá a vitória” (Provérbios 21.31).

Fazemos nossa parte, preparando nossas armas para a guerra, mas quem concede a nossa vitória é o Senhor dos exércitos. Tudo que é bom vem alto, inclusive nossas batalhas vencidas pelo poder de Deus. Não podemos esperar, sem ter nenhum tipo de atitude, a conquista; mas devemos assumir nossa posição de guerreiros (as) que decidem lutar com força e fé para alcançar a vitória. Toda honra, glória e poder (lembre-se) sempre pertenceram, pertencem e pertencerão a Deus, pois Ele que, por meio da graça, nos dá vitória. A glória nunca é nossa, pois não podemos suportar o “peso da glória”. Tudo vem Dele e Dele é a recompensa.

Mas a maior vitória foi conquistada por Cristo, na cruz. Por meio da sua morte e ressurreição, fomos lavados, redimidos, remidos e justificados. Por meio de Jesus, fomos reconciliados com Deus e temos livre acesso ao Pai. Seu doce Espírito Santo (Consolador e Guia) veio habitar em nós. E ainda que a situação pareça impossível, nosso Deus é o Deus que faz o impossível acontecer, de acordo com a Sua vontade. Podemos nos achegar a Ele, com temor, lançando sobre Ele toda a nossa ansiedade que Ele cuidará de nós (1 Pedro 5.7).

DEVOCIONAL LAGOINHA

FÉ E BOM SENSO

“De fato sem fé  impossível agradar a Deus.” Hebreus 11: 6

A fé, quando se opõe ao bom senso, é fanatismo; e o bom senso, quando oposto a fé, é racionalismo. A vida de fé coloca as duas coisas numa relação correta. O bom senso não é fé, e fé não é bom senso, pois um é natural e o outro espiritual; um, impulso, e o outro, inspiração. Nada do que Jesus Cristo disse é bom senso, é revelação; e vai até onde o bom senso não chega. A fé tem que ser provada, para que sua realidade possa concretizar-se. “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem”, então, não importa o que aconteça, a operação da providência de Deus transforma a fé ideal em realidade concreta. A fé é sempre algo pessoal, já que todo o propósito de Deus é fazer com que a fé ideal se torne real em seus filhos.

Para cada pormenor da vida de bom senso, há uma revelação acerca de Deus, pela qual podemos provar, através da experiência prática, o que acreditamos que Deus seja. A fé é um principio tremendamente ativo, que sempre coloca Jesus Cristo em primeiro lugar: “Senhor, tu disseste isso e aquilo (por exemplo, Mateus 6: 33); parece loucura, mas vou arriscar-me baseado em Tua Palavra.” Transformar a fé racional em realidade pessoal é uma luta constante, e não ocasional. Deus nos coloca em certas situações a fim de educar nossa fé, porque a natureza da fé é tornar real o seu objeto. Enquanto não conhecemos Jesus, Deus é mera abstração, não conseguimos ter fé nEle; mas, assim que ouvimos Jesus dizer: “Quem me vê a mim, vê o Pai”, temos algo que é real, e a fé não tem limites. Fé é o homem total, corretamente relacionado com Deus pelo poder do Espírito de Jesus Cristo.
Louvado seja Deus.

Ariovaldo Leite Júnior

MUDANDO O FLUXO DA HISTÓRIA

Permita-me perguntar o óbvio. Se Jesus, o Filho de Deus, o salvador sem pecado da humanidade, achou que valia a pena abrir espaço em seu calendário para orar, você não acha que nós deveríamos fazer o mesmo? Você pode não entender o mistério da oração. Você não precisa. Mas isso é certo. Ações no céu começam quando alguém na terra ora. Que pensamento impressionante! Quando você fala, Jesus escuta. E quando Jesus escuta, o trovão cai. E quando o trovão cai, o mundo muda. Tudo porque alguém orou.

A oração não muda a natureza de Deus, quem ele é nunca será alterado. Mas, a oração tem um impacto no fluxo da história. Deus organizou a fiação do seu mundo para poder, mas ele nos chama para ligar o disjuntor.

Max Lucado

UMA VONTADE MELHOR

Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua.” Lc 22.42

Algumas pessoas têm vontades perversas facilmente identificáveis porque não toleram oposição. Outras têm um outro tipo de vontade que parece ser boa, mas é maligna e pode ser reconhecida por seu fruto – impaciência. Se uma vontade verdadeiramente boa for obstruída, diz: “Ó Deus, eu pensei que o que eu queria fosse bom. Se não deve acontecer, estou satisfeito. Que a tua vontade seja feita”. Onde há conflito e impaciência não há nada bom – não importa quão bom possa parecer.

Além desses dois tipos de vontades malignas, há ainda uma vontade boa que Deus não quer que realizemos. Essa é a vontade de Davi quando quis construir um templo para Deus. Deus o louvou por isso, porém não permitiu que acontecesse (2Sm 7.2-29). Esse tipo de vontade é, também, o que Cristo teve no Jardim do Getsêmani. Apesar de boa, sua vontade precisou ser deixada de lado (Lc 22.42). Assim, se você quiser salvar o mundo inteiro, ressuscitar os mortos, enviar a si mesmo e a outros para o céu e realizar milagres, precisa, primeiro, procurar a vontade de Deus e submeter a sua própria vontade à dele. Você deve orar: “Querido Deus, isso ou aquilo me parece bom. Se agrada a ti, que seja feito. Se não, que permaneça sem acontecer”.

Frequentemente Deus quebra uma boa vontade para que uma vontade falsa, maligna, não penetre furtivamente, parecendo ser boa. Ele o faz para que aprendamos que mesmo que nossa vontade seja muito boa, ainda é imensuravelmente inferior à dele. Assim, nossa vontade boa inferior deve dar preferência à vontade infinitamente boa de Deus.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero.

RECONSTRUÇÃO

“…não nos desamparou o nosso Deus; antes, estendeu […] misericórdia, […], para restaurar as suas ruínas…” Esdras 9:9

No lado judeu de Jerusalém se encontra a Sinagoga Tiferet Yisrael. Construída no século 19, a sinagoga foi dinamitada durante a guerra árabe-israelense de 1948.

Durante anos, o local ficou em ruínas. Porém, em 2014, iniciou-se a reconstrução. Quando as autoridades municipais instalavam um pedaço de escombro como pedra angular, um deles citou Lamentações: “Converte-nos a ti, Senhor, e seremos convertidos; renova os nossos dias como dantes” (5:21).

Lamentações é a canção fúnebre de Jeremias para Jerusalém. Com imagens vívidas, o profeta descreve o impacto da guerra sobre a sua cidade. O versículo 21 é a sua oração sincera para Deus intervir. Ainda assim, o profeta se questiona se isso é sequer possível. E conclui sua canção angustiada com a temerosa ressalva: “Por que nos rejeitarias totalmente? Por que te enfurecerias sobremaneira contra nós outros?” (v.22). Décadas depois, Deus respondeu a essa oração quando os exilados voltaram a Jerusalém.

A nossa vida também pode parecer estar em ruínas. Criamos problemas por nós mesmos e os conflitos que nos são inevitáveis podem nos deixar devastados. Mas temos um Pai que compreende. Suave e pacientemente, Ele limpa todo o entulho, lhe dá um novo propósito e constrói algo melhor. Isso leva tempo, mas podemos sempre confiar nele. Ele é especialista em projetos de reconstrução.

Deus restaurará toda a beleza perdida anteriormente.

JUSTIÇA E LEALDADE

“Quem segue a justiça e a lealdade encontra vida, justiça e honra” (Provérbios 21.21).

Em outra versão da Bíblia, Provérbios 21.21 diz: “Quem busca a retidão e o amor leal terá vida longa e será tratado com respeito e justiça”. Já em 1 Timóteo 6.11 está escrito: “Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso [do amor ao dinheiro, da cobiça] e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão”. A Palavra nos aconselha a fugir das paixões (desejos) malignos e seguir essas qualidades. Felizes são aqueles que buscam a justiça de Deus, pois encontrarão a paz que excede todo entendimento. 

DEVOCIONAL LAGOINHA

NA TRILHA DAS MUDANÇAS

Você está na véspera de uma mudança? Um novo capítulo? Uma nova estação? A mensagem do céu para você está clara: quando todo o resto muda, a presença de Deus sempre permanece. Você viaja em companhia do Espírito Santo, que “lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que (Jesus) lhes disse” (João 14:26 NVI).

Então, faça amizade com o que há de vir. Mudança é uma parte da vida, e uma parte necessária da estratégia de Deus. Para nos usar para mudar o mundo, ele altera as nossas tarefas. Mas, alguém poderia perguntar, como explicar as mudanças trágicas que Deus permite? Algumas coisas não fazem sentido. Mas, elas fazem sentido se as virmos de uma perspectiva eterna. O que não faz sentido nesta vida fará sentido perfeito na vida por vir. Como Paulo escreveu “essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento.”

MAIS UM POUCO!

“E depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; por isso se chamou o seu nome Jacó. E era Isaque da idade de sessenta anos quando os gerou.”  Gn 25:26 

Diversas vezes na Bíblia, os fatos vividos por seus personagens não são narrados com pormenores, ficando a cargo do leitor tentar descobrir o que Deus quis comunicar ao nosso coração com algumas passagens. Por exemplo, a Bíblia afirma que Isaque se casou com Rebeca aos 40 anos de idade (Gn 25.20) e que ele orou para que ela lhe desse filhos. Somente no vv.26 descobriremos que Isaque teve seus filhos aos 60 anos, isto é, ele orou 20 anos para que o Senhor fizesse Rebeca estéril.

Vinte anos de oração por uma única causa. Será que estamos dispostos a perseverar por tanto tempo em oração? Nos nossos dias, muitos cristãos pensam que oração é como balcão de lanchonete, pede uma vez e em cinco minutos recebe seu pedido. No reino de Deus, não é assim! Se você realmente deseja algo do Senhor, deve pedir com fé e manter-se perseverante em sua oração. É isso que aperfeiçoa nossa fé e nos ensina a compreender os caminhos que Ele tem reservado para nós.

Ore mais um pouco… a vitória está cada dia mais próxima!

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

PROMESSAS E ORAÇÕES

“Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, mas regam a terra e afazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” ISAÍAS 55.10,11

Isaías 55.11 é um versículo que você deve usar conti­nuamente em oração. E a própria espinha dorsal da vida de oração. Palavra alguma que saiu da boca de Deus voltará para Ele vazia.

Deus disse: Eu velo sobre a minha palavra para a cum­prir (Jr 1.12b).

Deus tornará eficaz a Sua Palavra, se você ousar firmar-se nEla e ser leal a Ela!

As melhores respostas às orações que já recebi foram concedidas a mim, quando levei a Palavra de Deus diante dEle e O relembrei daquilo que Ele havia dito.

Louvado seja Deus porque Ele guarda a Sua Palavra!

Confissão: “A Palavra de Deus não voltará para Ele vazia, no en­tanto, Ela será eficaz da maneira que apraz ao Senhor e prosperará naquilo para o qual Ele A designou. Levo a Palavra de Deus diante dEle em oração. Deus A torna eficaz. O Senhor guarda a Sua Palavra, e eu recebo os benefícios desta promessa”.

VERBO DA VIDA

PROSPERIDADES

 

“Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma”. (III João 1:2)

Em minha opinião, prosperidade significa ter tudo o que precisamos ter para cumprir o propósito de Deus em nossas vidas. Todavia, minha opinião não é realmente importante. Vejamos o que a Bíblia tem a dizer sobre prosperidade. Como sabemos, a prosperidade bíblica não se limita ao dinheiro, mas se estende a outros e vários aspectos de nossa vida.

É muito interessante notar que o Novo Testamento não contém nenhum ensino sobre prosperidade propriamente. Creio que isso aconteceu, pois os autores das epístolas do Novo Testamento, ao ensinarem a verdade sobre o estilo de vida na Nova Aliança, acreditaram que os crentes já haviam compreendido que a prosperidade e a provisão material de Deus faziam parte do pacote da graça, vindo com a maravilhosa novidade de vida em Cristo.

À medida que estudamos a Bíblia, não há outra conclusão a se chegar a não ser a de que Deus quer prosperar seus filhos. Quando Deus criou a terra, ele a criou extravagantemente bela e rica. Ele não criou o jardim do Éden para que Adão e Eva vivessem às margens do suficiente ou tendo somente o bastante para suprir suas necessidades de sobrevivência. Deus foi bondoso com Adão e Eva! Ele não os colocou no jardim e os deixou à mercê. Ele não trouxe uma série de regras ou instruções para eles terem de seguir a fim de poderem viver bem. Em seu imenso amor, Deus os abençoou, primeiramente, para que pudessem viver em abundância!

“Pai, louvo a ti pelo teu imenso amor, pois sei que em todas as circunstâncias o Senhor cuida de mim. Abro meu coração para crer que recebo de ti, gratuitamente, todas as sortes de bênçãos espirituais e naturais, pois é o Senhor quem provê tudo para mim; em nome de Jesus, amém”

DEVOCIONAL VIDEIRA

TEMPORAIS

Depois que os discípulos de Jesus lutaram contra uma tempestade furiosa por nove horas geladas, por volta das 4 horas da manhã o impensável aconteceu. Eles avistaram alguém andando sobre as águas. “Quando o viram andando por sobre a água do lago, ficaram apavorados e disseram: É um fantasma! e gritaram de medo. (Mateus 14:26 VFL). Eles não esperaram ver Jesus chegando para eles dessa forma.

Nem nós esperamos. Nós esperamos ver ele chegando na forma de hinos tranquilos no domingo de Páscoa ou em retiros calmos. Esperamos encontrar Jesus em devocionais de manhã e meditações. Nunca esperamos vê-Lo num divórcio ou ato de despejo. Nunca esperamos vê-Lo numa tempestade. Mas é nas tempestades que ele faz o seu melhor trabalho, pois é nas tempestades que ele consegue nossa atenção total.

Jesus respondeu ao medo dos discípulos com um convite que merece ser escrito na pedra angular de cada igreja e arco residencial. “Não tenha medo,” ele disse. “Tenha coragem. Estou aqui!” (Mateus 17:27).

Max Lucado

PROPÓSITOS QUE PREVALECEM

“Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do Senhor”(Provérbios 19.21).

Temos inúmeras ideias borbulhando em nossa mente. São sonhos, desejos e planos que esperamos que se concretizem. Em Provérbios 16.3 está escrito: “Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos”. Já Salmos 37.5 diz: “Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá”. O ser humano pode planejar e sonhar mas a palavra final quem dá é o Senhor. Portanto, comecemos da forma certa: deixando em Suas mãos tudo que tanto ansiamos conquistar. Se queremos agradá-Lo, vamos querer sonhar os sonhos Dele. Correr atrás de vaidade é como correr atrás do vento, ou seja, é perder tempo. Nossa vida é tão valiosa e nosso tempo tão curto na terra que a melhor forma de viver essa vida aqui é estando no centro da vontade de Deus.

Como é bom poder entender que estamos onde deveríamos estar e que estamos fazendo o que deveríamos fazer. Sabe aqueles momentos em que você tem um contentamento tão grande que preenche todo o ser e que vem porque você está vivendo o propósito de Deus? Mas, infelizmente, tem momentos em que nos vemos perdidos, pois perdemos o foco, e acabamos por andar em círculos, ou mesmo tropeçando. Portanto, entregue a Ele tudo que você pensa em realizar. Confie tudo a Ele e descanse. Deus pode todas as coisas e tudo que Ele determina irá acontecer. Ele é fiel e sempre cumpre a sua palavra. Esteja com os ouvidos sensíveis para ouvir a Sua voz e para entender o que Ele tem para você.

DEVOCIONAL LAGOINHA

A PREOCUPAÇÃO NADA MUDA

A preocupação tem mais dúvidas do que respostas, mais trabalho do que energia, e pensa com frequência em desistir. Não há tempo, sorte, crédito, sabedoria ou inteligência o suficiente. Parece que nunca temos o suficiente então nós nos preocupamos. Mas a preocupação não funciona. Você pode dedicar uma década de pensamentos ansiosos à brevidade da vida, e não extendê-la por um minuto. A preocupação nada produz.

Deus não condena a preocupação legítima em relação às nossas responsabilidades, mas sim a mentalidade que despreza a presença de Deus. A ansiedade destrutiva subtrai Deus do futuro e soma os desafios do dia sem incluir Deus na equação. Jesus nos dá este desafio: “seu Pai celestial já sabe do que vocês precisam. Busquem, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão dadas.” (Mateus 6:32-33 NVT).

Max Lucado

DEUS INCRÍVEL

Então Isaque despediu Jacó e este foi a Padã-Arã, a Labão, filho do arameu Betuel, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e Esaú. (Gênesis 28.5)

 Jacó esperou muitos anos pela bênção prometida e, depois de recebê-la, teve de ir para o exílio. Ele foi forçado a deixar os seus queridos pais, e estes foram separados do seu amado filho por um longo tempo. À primeira vista, pode-se pensar que isso não era tão ruim. Mas é muito difícil para qualquer pessoa deixar o pai e a mãe, uma herança e um ambiente confortável e fugir em miséria e pobreza.

Esse é um exemplo maravilhoso que nos mostra como Deus trabalha. Ele requer que confiemos em suas palavras e em suas promessas até mesmo quando o oposto dessas promessas estiver acontecendo conosco. Jacó obteve a bênção prometida, mas precisou agarrar-se a ela por meio da fé e não duvidar do que não podia ver. Jacó nada tinha a não ser um cajado na mão e um pedaço de pão na sacola. Ele estava pobre, sozinho e exilado, mas confiava nas promessas de Deus. O exemplo de Jacó nos ensina a viver pela fé. Devemos crer em Deus quando ele promete nos amar e nos proteger, cuidar de nós e nos ouvir, mesmo que não possamos ver isso acontecendo.

Essa história foi escrita como um exemplo para nós. Devemos aprender a confiar na Palavra visível do nosso invisível e incrível Deus. Pelo fato de Deus não mentir nem nos enganar, esperamos com confiança e paciência que ele cumpra sua promessa. Isso é difícil para nós porque estamos acostumados a coisas que podemos tocar, ver ou sentir. Precisamos aprender a abandonar o que podemos experimentar apenas com nossos sentidos e viver de acordo com o que é invisível.

 Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero.

COOPERANDO PELA FÉ

“Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.”  Jo 15.7

 

O Senhor me disse, enquanto eu orava a respeito da morte iminente de entes queridos: “O que você disser a respeito é que Eu farei”.

Em determinada situação, o Senhor Se dirigiu a mim em uma visão e disse: “Está bem, vou dar-lhes um número maior de anos. Vou fazê-lo simplesmente porque você Me pediu. Não há pai terrestre que deseje realizar mais em prol dos seus filhos do que eu desejo fazer pelos meus, se apenas Me deixassem fazê-lo”.

Por que Deus simplesmente não faz? Porque devemos cooperar com Deus pela fé!

A idéia de que Deus é um tirano que domina as pessoas, castiga duramente e age conforme quer, com ou sem a coo­peração humana, é pura ignorância.

Temos um papel a desempenhar! Graças a Deus, podemos assumir o lugar que nos pertence. O Senhor Jesus Cristo -Cabeça do Seu Corpo em todas as coisas – é prejudicado nos Seus planos e operações poderosas, porque Seu Corpo não dá o devido valor ao significado profundo da Sua exaltação e ao fato de que estão assentados com Ele à destra do Pai!

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

 

A BOA IDÉIA DE DEUS

Se um jogador de basquete ficar repetindo a frase, “Não vou conseguir enterrar essa cesta, nunca vou conseguir essa cesta,” sabe o quê? Ele nunca vai conseguir a cesta! Medo de insignificância cria o resultado que teme; e chega no destino que tenta evitar. Se você passar os seus dias murmurando “Eu nunca farei uma diferença, eu não valho nada,” você se condena a uma vida melancólica sem perdão.

Pior ainda, você está discordando de Deus. Questionando o juízo dele. Desafiando o gosto dele. Segundo Deus, você foi feito “de modo especial e admirável” (Salmo 139:14). Ele não consegue parar de pensar em você! Se você pudesse contar os pensamentos dele sobre você, seriam “mais do que os grãos de areia” (Salmo 139:18).

Por que ele lhe ama tanto? Pela mesma razão que o artista ama os seus retratos e o fabricante de barcos ama suas embarcações. Você é ideia dele. E Deus só tem boas ideias!

MAX LUCADO

TUDO EXECUTA!

Êxodo 57:2

Todos nós podemos relatar diversas experiências que tivemos de orações respondidas. São essas graças que fortalecem nossa comunhão com Deus, muito embora a gente saiba que a vida cristã não é um ciclo de “pedir, esperar, receber”, mas sim, um relacionamento dinâmico e pessoal com o Pai Celestial, através de Jesus Cristo.

Aqui neste verso pude vislumbrar a ação invisível de Deus, interferindo no curso de nossa história. E notei um interessante contraste: Ao mesmo tempo em que Ele é o Deus Altíssimo (que habita no céu), Ele também é aquEle que por nós tudo executa (está bem pertinho para nos ajudar a caminhar e triunfar).

Com base nessa palavra, quero desafiar você a viver uma experiência com o Senhor, através do clamor. Não importa o quão distante você esteja dEle, é tempo de começar a clamar. Se há pecados não confessados na sua vida, chegue humildemente diante do Pai Celestial e se arrependa de cada um deles. Deixe o Criador “criar” coisas novas para você. Ele quer executar o desejo do seu coração!

Um novo relacionamento? Ele tudo executa!

Uma porta de emprego? Ele tudo executa!

Uma vida cheia do Espírito Santo? Ele tudo executa!

A restauração da sua família? Ele tudo executa!

Deus te abençoe!

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

ATITUDES DE CRISTO

Qual é a atitude mais parecida com a de Cristo sobre a terra? Pense bem antes de responder rápido demais!

Estou certo de que muitos responderiam amor. Isso é compreensível, porquanto ele realmente amou ao máximo.

Outros responderiam paciência. Novamente, não é uma má escolha.
Ao estudar a vida de Cristo, não encontro qualquer evidência de impaciência ou irritabilidade ansiosa. A graça também seria uma boa possibilidade. Nenhum outro homem ou mulher exibiu a graça que ele demonstrou, até o momento em que ele exalou o seu último suspiro.
Por mais importantes que sejam essas características, porém, essas não são as qualidades a que Jesus se refere quando se descreveu pela única vez, nas Escrituras.
“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mateus 11:28-30)
Você conseguiu captar as palavras-chave? “Sou manso e humilde de coração”. Essa declaração poderia ser melhor sintetizada pela palavra “altruísta”. De acordo com o testemunho de Jesus, essa é a atitude mais cristã que poderíamos exibir. Visto ser ele tão humilde, tão altruísta, a última pessoa na qual ele pensava era em si mesmo.
DEVOCIONAL RAZÃO DE VIVER

VIVA SEM MEDO

Medo. Ele cria uma forma de amnésia espiritual. Ele cega nossa memória de milagres. Nos faz esquecer o que Jesus já fez e como Deus é bom. Quando o medo forma as nossas vidas, a segurança se torna nosso deus. Quando a seguranças se torna o nosso deus, adoramos a vida sem riscos.

Os que estão tomados de medo não podem amar profundamente. O amor é arriscado. Não é de se admirar que Jesus fez tamanha guerra contra o medo. Os Evangelhos listam 125 imperativos de Cristo. Destes, 21 nos exortam assim: “não tenha medo”, “não temas”, ou “tenha coragem”, ou “tenha bom ânimo”. Se a quantidade é algum indicador, Jesus leva a sério os nossos medos. A declaração que ele fez mais do que qualquer outra é: “não tenha medo!”.

MAX LUCADO

DESCENDENTES DE ABRAÃO

Farei de você um grande povo, e o abençoarei […] e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados. (Gênesis 12.2-3)

Abraão é um dos personagens mais importantes do Antigo Testamento. Ele foi o primeiro dos três grandes patriarcas do povo da aliança de Javé. Além de prometer a Abraão uma terra e uma descendência, Deus prometeu abençoá-lo de forma mais ampla, fazer dele uma bênção, e através dele (isto é, de seu descendente, o Messias) abençoar todas as famílias da terra.

Não é exagero afirmar que o restante do Antigo Testamento, e na verdade o restante da história humana, têm sido um cumprimento dessas promessas. Considere o argumento de Paulo. Quando Deus fez suas promessas a Abraão “e a sua descendência” (no singular), ele usou uma palavra com sentido coletivo, referindo-se assim a Cristo e a todos que estão unidos a ele pela fé, pois, se pertencemos a ele, então somos descendência de Abraão (Gl 3.16, 29).

O apóstolo então contrasta as palavras maldição bênção, ou mais especificamente “a maldição da lei” e “a bênção de Abraão”. “Cristo nos redimiu”, ele escreve, “da maldição da Lei [ou seja, do juízo a que estávamos sujeitos pela desobediência à lei] quando se tornou maldição em nosso lugar […] para que em Cristo Jesus a bênção de Abraão chegasse também aos gentios” (Gl 3.13-14). Ele tomou sobre si a maldição para que pudéssemos herdar a bênção.

A promessa de Deus de abençoar o mundo através da descendência de Abraão é o fundamento para a obra missionária cristã. Devemos continuar a compartilhar o evangelho com judeus e gentios até que o número incontável de remidos de todas as nações e línguas seja tão numeroso quanto as estrelas do céu ou a areia do mar. Somente assim a promessa de Deus a Abraão se cumprirá.

Para saber mais: Gálatas 3.6-25

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott].

JEOVÁ-RAFÁ

[…] Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR, que te sara. ÊXODO 15.26

 

Quando Israel atravessou o mar Vermelho e começou a viagem para a pátria, o Senhor falou aos israelitas as palavras do versículo citado e Se revelou como Jeová-Rafá. A tradução de Jeová-Rafá é Eu sou o Senhor, Teu Médico ou Eu sou o SENHOR, que te sara. Deus não colocou enfermidades sobre Israel, nem sobre os egípcios. Satanás, o deus deste mundo, é quem faz as pessoas adoecerem. Jeová declara que Ele sara.

F. F. Bosworth, no seu livro Christ the Healer {Cristo, Aquele que cura) disse:

Esse Nome Jeová-Rafá) nos é dado para revelar-nos nosso privi­légio, proveniente da redenção, de sermos curados. O fato é que a primeiríssima aliança que Deus deu, depois da travessia do mar Ver­melho, que foi tão distintivamente típica da nossa redenção, foi a aliança da cura, e foi nessa ocasião que Deus Se revelou como nosso Médico, mediante Seu primeiro nome da redenção e da Aliança, Jeová-Rafá: Eu sou o SENHOR, que te sara. Trata-se não somente de uma promessa, mas também de um mandamento e estatuto.

Confissão: “Jeová-Rafá – Eu sou o SENHOR, que te sara – é o Nome do meu Senhor”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

%d blogueiros gostam disto: