A BOA IDÉIA DE DEUS

Se um jogador de basquete ficar repetindo a frase, “Não vou conseguir enterrar essa cesta, nunca vou conseguir essa cesta,” sabe o quê? Ele nunca vai conseguir a cesta! Medo de insignificância cria o resultado que teme; e chega no destino que tenta evitar. Se você passar os seus dias murmurando “Eu nunca farei uma diferença, eu não valho nada,” você se condena a uma vida melancólica sem perdão.

Pior ainda, você está discordando de Deus. Questionando o juízo dele. Desafiando o gosto dele. Segundo Deus, você foi feito “de modo especial e admirável” (Salmo 139:14). Ele não consegue parar de pensar em você! Se você pudesse contar os pensamentos dele sobre você, seriam “mais do que os grãos de areia” (Salmo 139:18).

Por que ele lhe ama tanto? Pela mesma razão que o artista ama os seus retratos e o fabricante de barcos ama suas embarcações. Você é ideia dele. E Deus só tem boas ideias!

MAX LUCADO

Anúncios

TUDO EXECUTA!

Êxodo 57:2

Todos nós podemos relatar diversas experiências que tivemos de orações respondidas. São essas graças que fortalecem nossa comunhão com Deus, muito embora a gente saiba que a vida cristã não é um ciclo de “pedir, esperar, receber”, mas sim, um relacionamento dinâmico e pessoal com o Pai Celestial, através de Jesus Cristo.

Aqui neste verso pude vislumbrar a ação invisível de Deus, interferindo no curso de nossa história. E notei um interessante contraste: Ao mesmo tempo em que Ele é o Deus Altíssimo (que habita no céu), Ele também é aquEle que por nós tudo executa (está bem pertinho para nos ajudar a caminhar e triunfar).

Com base nessa palavra, quero desafiar você a viver uma experiência com o Senhor, através do clamor. Não importa o quão distante você esteja dEle, é tempo de começar a clamar. Se há pecados não confessados na sua vida, chegue humildemente diante do Pai Celestial e se arrependa de cada um deles. Deixe o Criador “criar” coisas novas para você. Ele quer executar o desejo do seu coração!

Um novo relacionamento? Ele tudo executa!

Uma porta de emprego? Ele tudo executa!

Uma vida cheia do Espírito Santo? Ele tudo executa!

A restauração da sua família? Ele tudo executa!

Deus te abençoe!

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

ATITUDES DE CRISTO

Qual é a atitude mais parecida com a de Cristo sobre a terra? Pense bem antes de responder rápido demais!

Estou certo de que muitos responderiam amor. Isso é compreensível, porquanto ele realmente amou ao máximo.

Outros responderiam paciência. Novamente, não é uma má escolha.
Ao estudar a vida de Cristo, não encontro qualquer evidência de impaciência ou irritabilidade ansiosa. A graça também seria uma boa possibilidade. Nenhum outro homem ou mulher exibiu a graça que ele demonstrou, até o momento em que ele exalou o seu último suspiro.
Por mais importantes que sejam essas características, porém, essas não são as qualidades a que Jesus se refere quando se descreveu pela única vez, nas Escrituras.
“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mateus 11:28-30)
Você conseguiu captar as palavras-chave? “Sou manso e humilde de coração”. Essa declaração poderia ser melhor sintetizada pela palavra “altruísta”. De acordo com o testemunho de Jesus, essa é a atitude mais cristã que poderíamos exibir. Visto ser ele tão humilde, tão altruísta, a última pessoa na qual ele pensava era em si mesmo.
DEVOCIONAL RAZÃO DE VIVER

VIVA SEM MEDO

Medo. Ele cria uma forma de amnésia espiritual. Ele cega nossa memória de milagres. Nos faz esquecer o que Jesus já fez e como Deus é bom. Quando o medo forma as nossas vidas, a segurança se torna nosso deus. Quando a seguranças se torna o nosso deus, adoramos a vida sem riscos.

Os que estão tomados de medo não podem amar profundamente. O amor é arriscado. Não é de se admirar que Jesus fez tamanha guerra contra o medo. Os Evangelhos listam 125 imperativos de Cristo. Destes, 21 nos exortam assim: “não tenha medo”, “não temas”, ou “tenha coragem”, ou “tenha bom ânimo”. Se a quantidade é algum indicador, Jesus leva a sério os nossos medos. A declaração que ele fez mais do que qualquer outra é: “não tenha medo!”.

MAX LUCADO

DESCENDENTES DE ABRAÃO

Farei de você um grande povo, e o abençoarei […] e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados. (Gênesis 12.2-3)

Abraão é um dos personagens mais importantes do Antigo Testamento. Ele foi o primeiro dos três grandes patriarcas do povo da aliança de Javé. Além de prometer a Abraão uma terra e uma descendência, Deus prometeu abençoá-lo de forma mais ampla, fazer dele uma bênção, e através dele (isto é, de seu descendente, o Messias) abençoar todas as famílias da terra.

Não é exagero afirmar que o restante do Antigo Testamento, e na verdade o restante da história humana, têm sido um cumprimento dessas promessas. Considere o argumento de Paulo. Quando Deus fez suas promessas a Abraão “e a sua descendência” (no singular), ele usou uma palavra com sentido coletivo, referindo-se assim a Cristo e a todos que estão unidos a ele pela fé, pois, se pertencemos a ele, então somos descendência de Abraão (Gl 3.16, 29).

O apóstolo então contrasta as palavras maldição bênção, ou mais especificamente “a maldição da lei” e “a bênção de Abraão”. “Cristo nos redimiu”, ele escreve, “da maldição da Lei [ou seja, do juízo a que estávamos sujeitos pela desobediência à lei] quando se tornou maldição em nosso lugar […] para que em Cristo Jesus a bênção de Abraão chegasse também aos gentios” (Gl 3.13-14). Ele tomou sobre si a maldição para que pudéssemos herdar a bênção.

A promessa de Deus de abençoar o mundo através da descendência de Abraão é o fundamento para a obra missionária cristã. Devemos continuar a compartilhar o evangelho com judeus e gentios até que o número incontável de remidos de todas as nações e línguas seja tão numeroso quanto as estrelas do céu ou a areia do mar. Somente assim a promessa de Deus a Abraão se cumprirá.

Para saber mais: Gálatas 3.6-25

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott].

JEOVÁ-RAFÁ

[…] Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR, que te sara. ÊXODO 15.26

 

Quando Israel atravessou o mar Vermelho e começou a viagem para a pátria, o Senhor falou aos israelitas as palavras do versículo citado e Se revelou como Jeová-Rafá. A tradução de Jeová-Rafá é Eu sou o Senhor, Teu Médico ou Eu sou o SENHOR, que te sara. Deus não colocou enfermidades sobre Israel, nem sobre os egípcios. Satanás, o deus deste mundo, é quem faz as pessoas adoecerem. Jeová declara que Ele sara.

F. F. Bosworth, no seu livro Christ the Healer {Cristo, Aquele que cura) disse:

Esse Nome Jeová-Rafá) nos é dado para revelar-nos nosso privi­légio, proveniente da redenção, de sermos curados. O fato é que a primeiríssima aliança que Deus deu, depois da travessia do mar Ver­melho, que foi tão distintivamente típica da nossa redenção, foi a aliança da cura, e foi nessa ocasião que Deus Se revelou como nosso Médico, mediante Seu primeiro nome da redenção e da Aliança, Jeová-Rafá: Eu sou o SENHOR, que te sara. Trata-se não somente de uma promessa, mas também de um mandamento e estatuto.

Confissão: “Jeová-Rafá – Eu sou o SENHOR, que te sara – é o Nome do meu Senhor”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

NÓS PODEMOS!

E aconteceu que, num daqueles dias, entrou [Jesus] num barco com seus discípulos e disse-lhes: Passemos para a outra banda do lago. E partiram. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e o barco enchia-se de água, estando eles em perigo. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo. E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? […] LUCAS 8.22-25

John Alexander Dowie nasceu em Edimburgo, na Escócia, e mudou-se para a Austrália quando ainda era jovem. Por volta de 1875, quando Dowie pastoreava uma igreja congregacional em Newton, na Austrália, uma peste terrível varreu aquela parte do país. Foi durante aquela peste que Dowie recebeu, pela primeira vez, luz sobre a cura divina e a auto­ridade que os cristãos possuem.

Li que Dowie disse, em certa ocasião: “Atravessei o oceano 14 vezes de navio. Durante aquelas 14 travessias, surgiram muitas tempestades. Mas todas as vezes que isso acontecia, eu sempre fazia como fez Jesus: repreendia a tempestade. E cessou cada uma delas”.

Dowie sabia que Jesus havia dito: Aquele que crê em mim, fará também as obras que eu faço. Dowie sabia que estava ligado a Deus. Você e eu estamos ligados a Deus tanto quanto Dowie ou qualquer outra pessoa já esteve.

Confissão: “Creio em Jesus. As obras que Jesus Cristo fazia na Terra eu também posso realizar,pois assim Jesus falou; logo, eu posso”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

ME PONHO DE JOELHOS

“Por causa disso, me ponho de joelhos perante o Pai” […] EFÉSIOS 3.14

 

A segunda oração que eu fazia era aquela contida nos versículos 14 a 21, do terceiro capítulo de Efésios. E orava em favor de mim mesmo, assim:

Por causa disso, me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, para que, segundo as riquezas da sua glória, vos [me] conceda que sejais [eu seja] corroborados [corroborado] com poder pelo seu [meu] Espírito no homem interior; para que Cristo habite, pela fé, no vosso [meu] coração; a fim de, estando arraigados [arraigado] e fundados [fundado] em amor, poderdes [eu possa] perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais [eu seja] cheios [cheio] de toda a pleni­tude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém!

Sugiro que você faça essas orações de Efésios por si mesmo. Persevere em fazê-las. Não surtirão efeito caso você as profira simplesmente na base de “vamos fazer para ver o que acontece”. Se você continuar firme, porém, funcionarão para você. Louvado seja Deus!

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

O SENHOR DOS VALES E DOS MONTES

Salmos 121:1 – Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.

Às vezes, nosso olhar só consegue perceber os montes ao redor como obstáculos intransponíveis. O universo imenso nós o reduzimos ao mundinho sem graça da nossa miopia espiritual. A bíblia nos conta a história do povo judeu, que foi arrancado do seu território de nascimento e levado em cativeiro para muito além dos seus montes. Após serem declarados livres, pelo menos uma vez por ano peregrinavam para os vales ancestrais. Era tanta a emoçõa, que caminhavam e cantavam, assim que começavam a vislumbrar mais uma vez os altos da “terra santa”. “Olho para os montes e pergunto: De onde virá o meu socorro? Nesse momento relembro que o meu socorro só pode vir do Senhor que fez o céu e a Terra” (Salmo 121:1-2).

Há pessoas que nunca aprendem, no decorrer de sua peregrinações pessoais. Seu mundo se tornou minguado: se é vale, é bom. Mas se tiver montanha, sempre é ruim…

A Bíblia é nosso manual de direção, nas nossas andanças e de libertação espiritual, quando vemos os montes como inimigos. O salmista, finalmente, descobriu que os desafios dos montes podem ser vencidos, quando aprendemos a obedecer as estratégias “do Senhor, que fez o céu e a Terra”. Há um Senhor que manda em nossa vida. Seja nos vales, seja nos montes.

AMOR EM CRISTO

FRACOS? NÃO, ÚTEIS

Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. 2 Coríntios 12:9

Existe uma tendência universal no ser humano para esconder suas fraquezas. Estamos tristes, mas mostramos rosto alegre. Queremos chorar, mas guardamos nossas lágrimas. Sentimo-nos oprimidos, mas aparentamos estar no controle. Lutamos com a depressão, entretanto procuramos convencer os outros de que tudo vai bem.

Tudo isto revela a importância que damos à imagem que outros têm de nós. Desejamos que nos vejam como vencedores, com passos firmes rumo a objetivos claramente definidos na vida. Por isso, resistimos a todo custo revelar as coisas que mostram nossa verdadeira condição de seres frágeis e débeis.

Paulo afirma, com alegria, que se gloriará em suas fraquezas. Você, alguma vez, parou para pensar na loucura de tal declaração? Ele diz que não fará qualquer esforço para escondê-las; pelo contrário, se vangloriará por elas existirem. Longe de lhe provocar vergonha, ele as apresentará como as verdadeiras marcas da sua total dependência de Cristo. Na verdade, para nós, a atitude do apóstolo é algo incompreensível. Entretanto, não podemos deixar de sentir, no íntimo do coração, uma profunda admiração pelo seu estilo de liderança.

Por um momento, faça uma peregrinação pela história do povo de Deus. Você consegue pensar em alguma pessoa que tenha sido usada graças à sua força e virtudes? Abraão era um ancião incapaz de gerar filhos. José era um escravo, abandonado num cárcere. Moisés era um pastor de ovelhas, gago. Gideão era o menor de sua casa e, ainda por cima, pobre. Davi era um simples pastor de ovelhas. Neemias não era mais que um copeiro do rei. Jeremias era jovem e inexperiente. João Batista era um desconhecido que morava no deserto. Os discípulos eram simples pescadores, homens iletrados sem nenhum preparo. O intrépido perseguidor da igreja, Paulo, foi deliberadamente enfraquecido pelo Senhor por intermédio de um espinho na carne, que o atormentava.

E estes são apenas os heróis das Escrituras. Que diremos de outros como Agostinho, Lutero, Wesley, Hudson Taylor, Moody, Spurgeon etc. que marcaram profundamente a história do povo de Deus? Todos eles, sem exceção, foram úteis porque permitiram que suas fraquezas fossem um meio pelo qual Deus demonstrou Sua glória.

PÃO DIÁRIO

PROFETIZANDO A PALAVRA

Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. MATEUS 18.18

Muitas coisas ruins existem porque os cristãos permitem a sua existência; simplesmente, nada fazem a respeito. Às vezes, os cristãos nem sabem que podem realizar algo para mudar as situações.

Há muitos anos, enquanto meditava e estudava a respeito da autoridade que os remidos possuem, tive a impressão de que o Senhor me lançava um desafio. Naquela ocasião, já fazia 15 anos que eu orava pela salvação do meu irmão mais velho. Freqüentemente, orava e jejuava durante três dias ininterruptos em prol da salvação dele – mas ele piorava em vez de melhorar. Eu orava: “Deus, salva-o. Deus, salva-o”. No entanto, nada aconteceu. Certa ocasião, reclinado na cama, estudando, ouvi o Senhor em meu espírito. Ele me lançou um desafio: “Faça você algo a respeito dessa situação. Você tem autoridade. Você pode agir em Meu Nome!”

Levantei-me e falei: “Em Nome de Jesus Cristo, quebro o poder do diabo sobre a vida de Dub. Reivindico a sua salvação e libertação!”

Depois de duas semanas, recebi a notícia de que Dub nas­cera de novo.

Confissão: “Jesus disse que o céu nos apóia em tudo quanto nós, cristãos, proibimos ou permitimos. Em Nome de Jesus, proíbo ou amarro a obra do inimigo. Em Nome de Jesus, desligo, desamarro e permito que o poder de Deus flua no meu campo de operação”.

DEVOCIONAL VERBO DA VIDA

NO CAMINHO DA ALEGRIA

“Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!” 

(Filipenses 4.4)

Paulo foi um homem que passou por muitas mudanças na vida. A fé em Cristo revolucionou sua escala de valores. O que era lucro, virou prejuízo e pela excelência do conhecimento de Cristo, ele considerou as demais coisas, qualquer coisa que pudesse impedir sua vida discipular, como de nenhum valor. Suas cartas nos falam de seus sofrimentos, de suas dores, de solidão, das agressões físicas e prisões, e ainda revelam o que ele chama de “espinho na carne”. Algo que muitos acreditam ter sido uma enfermidade oftalmológica que, além de deformar seu rosto, praticamente o impedia de escrever, necessitando da ajuda de outros para suas cartas. E então, ele fala de alegria!

Há um mistério na vida cristã que envolve satisfação, confiança e alegria e que a esmagadora maioria de nós ainda não conheceu, nem sequer de longe! Paulo parece ter conhecido. É a capacidade de alegrar-se em Deus. Não com o que Ele nos dá, não com as respostas positivas às nossas orações, não com a prosperidade garimpada em nome da fé, mas, uma alegria divina, residente no próprio Deus. Alegria do “Eu Sou”, que tanto amou, que veio a nós e nos fez dele. A alegria de filho que voltou à casa do Pai. Paulo, mesmo com uma trajetória de vida que muitos considerariam um fracasso a julgar pelos padrões humanos de sucesso, descobriu e experimentou algo que sucesso algum poderia lhe proporcionar: a alegria no Senhor. E ele a recomenda a nós.

Sinto-me desafiado constantemente por esta palavra paulina. Pergunto-me sobre minhas alegrias e minhas tristezas. Onde, realmente, Deus está em tudo isso. E cada vez que apenas creio e separo tempo para respirar em Sua presença, sinto que há um caminho diante de mim do qual conheço apenas poucos passos, um caminho que me foi aberto por Cristo na cruz, o caminho que me faz estar com Deus. Como cristãos somos chamados a essa jornada de fé trilhada por Paulo e destinada a todos os seguidores de Cristo. Chamados a descobrir essa alegria divina, que capacita a superar circunstâncias e suportar tragédias. Que hoje possamos, humildes e submissos, dar alguns passos adiante. Alegre-se no Senhor!

“A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o seu espírito”

(Filipenses 4.23)

DEVOCIONAL IBPC

DESARMANDO A ANSIEDADE

Seu alvo não é conhecer todo detalhe do futuro. Seu alvo é de segurar a mão dAquele que conhece e de nunca, jamais soltar aquela mão! Jesus nos diz de forma bem franca “Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir.” (Mateus 6:25 NVI).

Daí, ele nos dá dois comandos: observe e veja. “Observem as aves do céu” (Mateus 6:26). Quando fazemos isso, eles parecem felizes. Eles não parecem sem sono ou solitários. Eles cantam e voam! Em seguida ele diz “Vejam como crescem os lírios do campo.” (Mateus 6:28). E ele completa “nem Salomão” (o rei mais rico da história), “em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles.” (Mateus 6:29).

Como é que desarmamos a ansiedade? Estocar as nossas mentes com pensamentos de Deus. Se pássaros e flores estão debaixo dos cuidados de Deus, será que ele não cuidará de nós também?

Max Lucado

ORAÇÃO JUSTA

“O Senhor está longe dos ímpios, mas ouve a oração dos justos” (Provérbios 15.29).

A Palavra de Deus diz que temos que orar sem cessar. Tudo que fazemos devemos entregar ao Senhor. Todos os planos devemos consagrar a Ele. Podemos clamar pedindo sua ajuda e sua orientação que Ele irá nos responder. Ele é nosso guia.

Se somos filhos de Deus e herdeiros das suas promessas, podemos ter um relacionamento íntimo com Jesus, através do Espírito Santo. Podemos orar, clamar e buscar a Deus que é um Pai amado que acolhe e abraça seus filhos. A oração tem que se tornar um hábito diário. No início pode ser difícil, mas é essencial se esforçar e passar um tempo com Jesus.

DEVOCIONAL LAGOINHA

PENSANDO BEM

Queremos seguir a admoestação do apóstolo Paulo: “Concentrem-se em tudo que é verdadeiro, tudo que é nobre, tudo que é correto, tudo que é puro, tudo que é amável e tudo que é admirável. Pensem no que é excelente e digno de louvor.” (Filipenses 4:8NVT). Poxa! Quem consegue fazer isso?

Confissão. Para mim esta lista é difícil de cumprir. Os céus sabem que já tentei. Uma ideia aleatória passa pela minha cabeça, e eu deixo entrar. Era verdadeira, digna de honra, pura… E o próxima?

Há um jeito mais simples. Faça do seu alvo se agarrar a Cristo. Permaneça nele. Ele não é verdadeiro, digno de honra, justo, puro, amável, admirável, excelente e digno de louvor? Será que isso não é o convite dele do vinhedo? “Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês… Quem permanece em mim, e eu nele, produz muito fruto. Pois, sem mim, vocês não podem fazer coisa alguma.”

Max Lucado

AMIGO SEMPRE PRESENTE

“Pois o SENHOR ama a justiça e não desampara os seus santos; serão preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será exterminada.”

Salmos 37:28

Deus é comprometido com seu povo. Ele ama justiça e aqueles que a seguem . Ele não esquecerá do seu povo, daqueles que procuram honrá-lo mostrando o caráter dele nas suas vidas. Deus prometeu que honrará suas promessas ao seu povo e preservá-los-á com seu poder protetor para sempre. Como Deus prometeu, “Nunca te abandonarei, nunca te esquecerei”!

ILUMINALMA

 

CONTROLADOR DE TRÁFEGO

O coração ansioso deprime o homem (Provérbios 12:25 NVI). Mas, há um jeito melhor. Convide Deus para falar para o problema. “Levamos cativo todo pensamento rebelde e o ensinamos a obedecer a Cristo.” (2 Coríntios 10:5 NVT).

Meta algemas no culpado e conduza-o diante dAquele que tem autoridade: Jesus Cristo. Jesus diz “Arreda Satanás.” E como o controlador de tráfego aéreo da sua mente, que é sóbrio e tem discernimento, você se recusa a permitir que aquele pensamento tenha algum espaço.

Tome posse da cada promessa bíblica que você consegue lembrar, e se dedique a aprender mais algumas. Não dê espaço algum a Satanás. Não aceite as mentiras dele. Resista a tentação de exagerar, aumentar ou simplificar. Foque nos fatos. Pelo que você sabe, Deus pode estar querendo você como garoto/a propaganda para crescimento. O que você pode fazer é orar e confiar!

Max Lucado

CAMINHOS APLANADOS

Leia Isaías 40.27-31
Portanto, levantem as suas mãos cansadas e fortaleçam os
seus joelhos enfraquecidos. Andem por caminhos aplanados…
Hebreus 12.12-13a (NTLH)*

Passeando de férias pela praia, com meu marido, caminhei por longo
período em uma areia muito fofa, o que estava me cansando. Mas aí
percebi que poderia aliviar meu cansaço pisando exatamente nas pegadas
já marcadas na areia por outra pessoa que andou ali antes de mim.
Eu colocava meu pé dentro da pisada aproveitando a areia já amassada.
Ufa! Minha caminhada ficou mais leve e mais proveitosa. Cansei-me menos
e pude aproveitar mais o passeio curtindo o lindo mar e toda a paisagem
ao redor. Lembrei-me da palavra do Senhor: ”O caminho de Deus é
perfeito” (2 Samuel 22.31a); ”Andem por caminhos aplanados” (Hebreus 12.13a).
Não estou livre de dificuldades, empecilhos, entraves, porém, em meu
caminhar diário, sinto alívio quando caminho nos passos do Senhor, isto
é, quando ajo de acordo com os princípios da palavra de Deus e busco
intensamente sua presença comigo.

Oração:  Guia, Senhor, meu caminhar. Dá-me alívio; preciso de ti. Em nome de Jesus. Amém.

Pensamento para o dia:  Deus já preparou seu caminho de hoje.

DEVOCIONAL O CENÁCULO

PÁSCOA: ELE É O MEU ÊXODO E MINHA ALEGRIA

10247209_630633007029150_5783431467229999526_nA verdadeira Páscoa existencial, segundo o Evangelho, é todo dia; e é algo que a gente faz…Existe a dimensão do “fazei” no Novo Testamento!

Está Tudo Feito para que, em mim, possa ser feito; e em tal tarefa sou colaborador de Deus, abrindo o ser para que a operação do Espírito não encontre o pior adversário da Graça, que é a nossa própria indisposição de aceitarmos a cura como morte… em Jesus.

Sim! Nossa cura é morrermos; a fim de que possamos provar a outra vida, que não é no além ainda, mas aqui e agora; já.

Quando morremos com Jesus, quando nossa reputação, justiça-própria, glória, honra, e tudo quanto seja importante e elevado entre os homens, acaba para nós, então, aí é que começa a vida.

É pelo querer, pelo fazer, pela decisão… que se pode, dia a dia, ir fazendo morrer a nossa natureza terrena; na mesma medida em que apenas nos gloriemos em Jesus, na Cruz, na Vida que é; e, assim, vivamos em novidade de vida.

Todavia, saiba: Uma das primeiras manifestações de que de fato morremos com Jesus, é o abdicar de toda importância humana que se contraponha à simplicidade do que seja a Verdade em Jesus.
E mais: Os mortos já não têm mais divida alguma!

Quem serão os credores que entrarão na morte para cobrar ao morto? Sim! Se o morto morreu em Jesus, na Cruz?

Paulo diz: Aquele que morreu já não tem dívidas!

Assim, fique livre para andar livre; e isto só acontece quando se caminha exclusivamente segundo o Evangelho.

Desse modo, estou ressuscitado com Jesus. E, por causa Dele, a morte já não tem domínio sobre mim.

Todo dia é uma nova vida!

Nele, que é a nossa Páscoa.

Pr Caio Fábio – http://www.caiofabio.net

TEMPOS DIFÍCEIS

Mandou buscar José e lançou-o na prisão em que eram postos os prisioneiros do rei. José ficou na prisão, mas o Senhor estava com ele e o tratou com bondade, concedendo-lhe a simpatia do carcereiro. (Gênesis 39.20-21)

A história do sofrimento que José experimentou quando foi vendido como escravo pode nos consolar. Ele sofreu horrivelmente e Deus parecia incapaz de ouvir ou falar. Aparentemente, ele não percebia o que estava acontecendo. Mesmo assim, José manteve sua fé. O Senhor encorajou-o e falou ao seu coração: “Querido José, espere. Seja paciente. Apenas creia e não se desespere. Agarre-se à promessa que você ouviu do seu pai”. Desta maneira, falou-lhe pelas palavras do seu pai, mesmo que José nada tenha visto ou ouvido realmente. Isso fez com que Deus parecesse estar cego ou morto. Ainda assim, José creu na promessa que o Senhor dera aos seus ancestrais. Ele pensou: “Deus prometeu estar com os descendentes de Abraão. Eu creio no Deus dos meus ancestrais”. Anos depois Deus falaria de maneira maravilhosa ao fazer de José um governante e resgatador no Egito.

Exemplos como esse nos foram dados para aprendermos a ter paciência no sofrimento. Assim, nunca nos queixaremos de Deus, não importa quão horrível a aflição, o medo ou a dor possa ser. Certamente José também passou por dor e depressão profundas quando foi tirado injustamente do seu pai e vendido a estranhos. Ele compreendeu que seria um escravo para sempre, sem esperança de possuir coisa alguma ou de resgatar sua liberdade.

Porque nosso Senhor permite que coisas terríveis ocorram a seus filhos, nós devemos suportar pacientemente os acontecimentos ruins. Eles não são sinais de que Deus nos abandonou ou está irado conosco. Pelo contrário, provam que temos o seu favor. Eles nos mostram que ele está provando a nossa fé. 

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero.

SEM DÍVIDAS

6117-000491

Na Páscoa verdadeira acontecem duas mortes: a do Cordeiro e daqueles por quem Ele morreu. Na morte de Jesus eu não escapei da morte, eu morri com Ele, a fim de poder viver com Ele.

Se Jesus morreu, mas eu escapei de morrer com Ele, significa que Ele não morreu por mim…Entretanto, Jesus morreu por mim independentemente de que eu tenha aceitado morrer com Ele, em Sua morte.

Assim a Graça principia…

Afinal, Cristo Jesus deu a vida por nós, sendo nós ainda alienados Dele por completo.

Todavia, uma vez que eu celebre a Páscoa como morte de Jesus, o Cordeiro, por mim, então, por tal consciência, eu devo também me considerar morto para o pecado e vivo para Deus. Então, porque pensar que ainda tenho que pagar algo?

Entretanto, em Páscoas de Ovo — não há lugar para a Cruz, e, muito menos, para se celebrar a nossa própria morte com Jesus. Ninguém quer morrer.

Todo mundo quer viver, viver e viver…

Mas não há vida em Jesus sem que eu aceite que a morte de Jesus quer ser a minha morte. O convite da Páscoa existencial do Novo Testamento é para que nós nos conformemos com Jesus na Sua morte, a fim de obtermos superior ressurreição.

E mais: No ensino de Paulo o morrer com Jesus, o aceitar as implicações de Sua morte, trazia como consequência a consciência de nossa morte para o viver segundo o capricho, o egoísmo, o “si-mesmo”.

Entretanto, Paulo diz: “Fazei morrer a vossa natureza terrena”… — e a descreve tal natureza como sendo aquilo que mata a alma e o espírito; a saber: maldade, luxuria, inveja, prostituição, amargura, ódio, gritarias e maldade no falar; entre tantas outras coisas.

Assim, a verdadeira Páscoa existencial, segundo o Evangelho, é todo dia; e é algo que a gente faz…Está Tudo Feito para que, em mim, possa ser feito; e em tal tarefa sou colaborador de Deus, abrindo o ser para que a operação do Espírito não encontre o pior adversário da Graça, que é a nossa própria indisposição de aceitarmos a cura como morte… em Jesus.

Sim! Nossa cura é morrermos; a fim de que possamos provar a outra vida, que não é no além ainda, mas aqui e agora; já.

Quando morremos com Jesus, quando nossa reputação, justiça-própria, glória, honra, e tudo quanto seja importante e elevado entre os homens, acaba para nós, então, aí é que começa a vida.

É pelo querer, pelo fazer, pela decisão que se pode, dia a dia, ir fazendo morrer a nossa natureza terrena; na mesma medida em que apenas nos gloriemos em Jesus, na Cruz, na Vida que é; e, assim, vivamos em novidade de vida; não segundo o mundo; não para chocar ninguém; mas apenas para dar o testemunho da nova consciência segundo a fé, que é pura para comer e beber com gratidão, e feliz para testemunhar somente pela alegria da libertação.

Todavia, saiba: Uma das primeiras manifestações de que de fato morremos com Jesus, é o abdicar de toda importância humana que se contraponha à simplicidade do que seja a Verdade em Jesus.

E mais: Os mortos já não têm mais divida alguma!

Sim! Se o morto morreu em Jesus na Cruz, Paulo diz: Aquele que morreu já não tem dívidas!

Assim, fique livre para andar livre; e isto só acontece quando se caminha exclusivamente segundo o Evangelho. Desse modo, estou ressuscitado com Jesus. E, por causa Dele, a morte já não tem domínio sobre mim.

Todo dia é uma nova vida!

Nele, que é a nossa Páscoa,

Caio Fábio

DIVINO AMIGO

Salmos 124:2 – Se não fora o SENHOR, que esteve ao nosso lado, quando os homens se levantaram contra nós.

Muitos de nós temos experimentado situações críticas e perigosas. Nelas, a única certeza que nos vem é a da tragédia final. Por isso, como último recursos, no auge do medo, sentimos que o único meio de sobrevivência é agarrar o socorro que Deus nos oferece. Foi o que o salmista vivenciou. “Se o Senhor não estivesse do nosso lado, quando os inimigos nos atacaram, eles já nos teriam engolido vivos…” (Salmo 124:2-3).

A única maneira de não experimentar a ajuda divina é a atitude de ignorá-la. Por natureza, gostamos de assumir a postura da autossuficiência: ela alimenta nosso orgulho pessoal. Só que, cada vez mais, à media que vamos acreditando em nossos super poderes, vamos desaprendendo as estratégias bíblicas de vitória “contra as astutas ciladas de satanás” (Efésios 6:11).

Deus trabalha por nós, na vitória… e na derrota. O Senhor “está do nosso lado”, ainda que não o vejamos. “Não pela força, nem pela violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor” (Zacarias 4:6). Exercitar nossa dependência de Deus é a ginástica espiritual mais difícil por isso, ela exige regularidade, constância.

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

 

 

A CRUZ

A cruz. Dá para virar em qualquer direção sem ver uma? Impressa num anel ou pendurada num colar. A cruz é o símbolo universal do Cristianismo.

Uma escolha estranha, você não acha? É estranho que uma ferramenta de tortura simbolize um movimento de esperança. O desenho não poderia ser mais simples. Uma viga horizontal, outra vertical. Uma se estende para todos os lados, como o amor de Deus. A outra se estenda para cima, como faz a santidade de Deus. Uma representa a largura do amor dele; a outra, a altura da sua santidade. A cruz é o cruzamento. A cruz é onde Deus perdoou seus filhos sem comprometer seus padrões.

Deus colocou o nosso pecado em seu filho e o puniu lá. Seus pecados foram colocados em Jesus. Jesus recebe o castigo. E já que Cristo está entre você e Deus, você não sofre. O pecado é punido, mas você está seguro – segure na sombra da cruz!

Max Lucado

PARANOIA INVERSA

Tenho uma nova definição de fé: paranoia inversa. Uma pessoa verdadeiramente paranoica organiza a sua vida em torno de uma perspectiva comum de medo. Tudo que acontece alimenta esse medo.

A fé age no sentido inverso. Uma pessoa de fé organiza sua vida em torno de uma perspectiva comum de confiança, não de medo. Apesar do caos aparente do momento presente, Deus reina. Independentemente de como eu possa me sentir, realmente sou importante para um Deus de amor.

O que poderia acontecer se nós, no reino de Deus, realmente agíssemos como se as palavras do apóstolo João fossem literalmente verdadeiras: “…maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4). O que aconteceria se verdadeiramente começássemos a viver como se a oração mais repetida da cristandade tivesse realmente sido respondida — que a vontade de Deus seja feita assim na terra como no céu?

Alimentar a sua fé ajuda a fazer morrer de fome os seus medos.
Philip Yancey

QUAIS SÃO OS SEUS PLANOS?

“Porventura não erram os que praticam o mal? mas beneficência e fidelidade haverá para os que praticam o bem” (Provérbios 14.22).

Quais tem sido os seus planos? São planos que glorificam o nome do Senhor ou planos que agradam a você mesmo? Nosso alvo, como cristãos, tem que ser Cristo. A partir do momento que penso em como Ele andou, falou e amou o outro, e anseio em ser parecido com Ele, meus sonhos serão sonhos que refletem o Seu nome. Precisamos planejar de forma que a luz de Jesus chegue à nossa família, aos nossos vizinhos, ao nosso país e até os confins da terra.

Os perdidos tem clamado por salvação e os campos estão brancos. Disponha seu coração totalmente e diga: “Eis-me aqui, Senhor, envia-me, usa-me”! Existe uma parábola, no Novo Testamento, de um homem que vendeu tudo o que tinha e comprou um campo que continha um tesouro muito precioso. Ele entendeu que tudo que ele tinha não se comparava ao preço desse tesouro, pois o mesmo tinha um valor incalculável. Ele ficou sem nada, mas ganhou tudo! O que você precisa deixar para trás e abrir mão para sonhar os sonhos de Deus para você e para planejar os planos que Deus tem para você?

DEVOCIONAL LAGOINHA

SERVIR

“…o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.”v.16

 

Certa vez um amigo me disse: “Joe, descobri que minha vida não consiste dos sonhos que tenho, mas das escolhas que faço.”

Pode contar com isso: você terá muitas escolhas a fazer em sua vida. E, geralmente, resumem-se a escolher entre “O que eu quero?” e “O que é melhor para os outros?”

Depois que os maridos de Rute e Orfa morreram, elas precisaram decidir estrategicamente (Rute 1:11). Noemi, a sogra de ambas, lhes disse que elas deveriam voltar para sua parentela. A sogra não queria que as noras sentissem qualquer obrigação para com ela, apesar de a sua perda ter sido muito maior. Noemi havia perdido seu marido e seus dois filhos.

Orfa e Rute poderiam ir para casa e começar uma nova vida, ou ficar com Noemi para ajudá-la em uma época de grande necessidade. Elas sabiam muito bem que a última opção provavelmente significaria viver numa terra estrangeira, como viúvas, para o resto de suas vidas, uma vez que poucos homens judeus iriam querer casar-se com uma mulher estrangeira.

Rute decidiu atender as necessidades de Noemi ao invés de servir a si mesma. Orfa optou por deixar Noemi para levar uma vida que achava que seria melhor. Rute passou a desempenhar um papel significativo na história judaica e tornou-se uma ascendente de Jesus (Mateus 1:5).

Faça a melhor escolha. Escolha servir os outros.

PÃO DIÁRIO

JESUS ORA POR NÓS

Enquanto esperamos a volta de Cristo, podemos ficar encorajados porque Jesus está orando por nós! Como registrado em Lucas 22:31, Jesus diz “Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo.”Tradução livre: Satanás vai debulhar a sua fé como debulham o trigo no moinho!

Você esperaria que as próximas palavras de Jesus seriam, “Então dê um fora da cidade!” Mas Jesus não demonstra nenhum pânico. Em versículo 32, Ele diz “Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E quando você se converter, fortaleça os seus irmãos”

Tudo muda quando Jesus ora por nós. O diabo pode até nos alcançar com alguns socos, mas ele nunca ganha a luta. Jesus protegeu Pedro, e Jesus está lhe protegendo.

Max Lucado

SÁBIA CORAGEM

“Orientem sua vida de acordo com a realidade, a iniciativa e a provisão de Deus. Não se preocupem com as perdas, e descobrirão que todas as suas necessidades serão satisfeitas. Prestem atenção apenas no que Deus está fazendo agora e não se preocupem quanto ao que pode ou não acontecer amanhã. Quando depararem com uma situação difícil, Deus estará lá para ajudá-los.” (Mateus 6.33-34)

Se estamos no controle do que acontece conosco e no comando de nosso próprio bem-estar, é bom que estejamos sempre vigilantes contra o mal e constantemente alertas às boas oportunidades. Mas, se Deus está no controle, se seu reino já é uma realidade, um “portanto” decisivo separa-nos dessas ansiedades que nos enfraquecem.

O que você busca em primeiro lugar?

Meu Deus e Rei, no decorrer deste dia, enquanto eu estiver diante de escolhas a fazer e caminhos a seguir, dá-me a sábia coragem para decidir viver no reino onde conhecerei teu poder e glória em Jesus Cristo. Amém.

>> Retirado de Um Ano com Jesus [Eugene H. Peterson].

MANTENDO A PAZ INTERIOR

stationery-2099960_960_720

Por 365 vezes encontramos na Bíblia a expressão “não temas“. Alguém disse que temos uma delas para cada dia do ano e que se procurarmos com calma talvez achemos uma para o ano bissexto!

Por que para Deus é tão importante que não tenhamos medo? Porque fé começa com uma atitude interior. Somente depois de agir dentro de nós, nos levando a um lugar onde o problema não mais nos afeta é que fará com que o poder de Deus opere nas circunstâncias à nossa volta. Quando os três amigos de Daniel venceram a fornalha do rei Nabucodonosor na Babilônia, o fizeram pela fé. Mas observe como foi que esta fé operou:

“os quais, PELA FÉ, venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, APAGARAM A FORÇA DO FOGO, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fugida os exércitos dos estranhos.” (Hebreus 11.33,34)

O texto não diz que eles apagaram ao fogo, e sim a força do fogo. A diferença é muito clara. A fé nunca começa resolvendo a circunstância, mas anulando seu poder sobre nosso íntimo. Quando o fogo não tem mais poder sobre nós é porque o milagre já começou. A fé não é uma varinha de condão que ao ser batida sobre o problema o faz desaparecer instantaneamente. Ela primeiro nos transporta a um lugar onde as circunstâncias não mais nos afetam. O Senhor falou disto pela boca do profeta Isaías:

“Mas, agora, assim diz o Senhor que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome; tu és meu. Quando passares pelas águas, estarei contigo, e, quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” (Isaías 43.1,2)

Todos teremos problemas e enfrentaremos desafios. Naqueles dias a travessia de rios (quando não existiam pontes e os recursos eram tão limitados) significava a possibilidade de morte por afogamento. E o perigo do fogo para nós ainda é o mesmo. Deus não fala sobre a possibilidade de termos problemas, ele toca no assunto como sendo uma certeza, um fato. Ele diz: “quando” você passar; e não “se” você passar.

Mas Ele nos ensina como nos comportar na hora que os problemas e desafios aparecerem. Basta não temer. Quando vencemos o medo e permanecemos numa condição interior de paz, a presença e o poder de Deus se manifestarão.
Note que Deus fez uma promessa de não sermos destruídos pelos problemas. O fogo não nos consumiria e as águas não nos afogariam. O problema pode ainda estar presente, mas precisamos aprender a não nos deixar ser afetados por ele.

E ao tomarmos esta decisão de não turbar nosso coração, veremos que a paz de Deus vai se manifestar em nós.
Quando lemos acerca de Paulo e Silas na prisão louvando a Deus mesmo depois de terem sido açoitados, temos um exemplo prático de alguém que aprendeu a viver acima das circunstâncias.

Quando lemos acerca de Jesus dormindo naquele barco na hora da tempestade enquanto seus discípulos estavam apavorados, temos um contraste claro do que é manter a paz interior e do que não.

Sempre que a fé opera, vai nos levar a um descanso interior, que é a certeza do agir de Deus a ponto de não mais nos preocuparmos com adversidade.

” Nós, porém, que cremos, entramos no descanso…” (Hebreus 4.3)

Que o Senhor o ajude a se exercitar em fé a ponto de ser conservado em paz!

Luciano P. Subirá.

CONSIDERE ESTA POSSIBILIDADE

Deus está respondendo sua oração, mas você não consegue enxergar.

Começarei com esta verdade porque este é o maior dos motivos que ficamos desanimados com as nossas orações. Quando o profeta Daniel teve uma visão que muito o perturbou ele começou a orar pedindo a Deus por entendimento. Ele sabia, certamente, que tudo o que ele viu na visão tinha a ver com aquilo que mais lhe preocupava, que era a situação dele e do seu povo vivendo como escravos em terras estrangeiras, mas não sabia exatamente o que. Orava e jejuava continuamente, mas não via uma resposta. Três semanas depois, chegou até a ele o anjo Gabriel com estas incríveis palavras: “Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia, em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas orações; e eu vim por causa das tuas orações” (Dn 10:12). Frequentemente quando oramos e não vemos um sinal de que estamos sendo ouvidos, temos a impressão errada de que algo não deu certo com a nossa oração. Começamos então a maquinar na nossa cabeça os motivos: me faltou fé? Orei pouco? Não pedi da forma correta? Não jejuei? Todas essas coisas podem ser verdades, mas comece a considerar a possibilidade de que a sua oração começou a ser atendida assim que você mencionou a primeira palavra. Na realidade a aceitação de que Deus ouviu e já está atuando na resposta é algo comum na vida dos grandes homens de fé.

Quando você for orar novamente pelo mesmo problema, não fale com o Senhor como se fosse a primeira vez, mas pergunte a Ele como está o andamento. Diga simplesmente: “Senhor, gostaria de saber sobre o problema que mencinei hoje de manhã, me refiro ao… etc.”. Você verá como esse tipo de atitude mudará as coisas e aumentará a sua fé.

Markun da Silva

 

%d blogueiros gostam disto: