* TOMEM O JUGO LEVE

Vocês estão cansados, enfastiados de relGOigião? Venham a mim! Andem comigo e irão recuperar a vida. Vou ensiná-los a ter descanso verdadeiro. Caminhem e trabalhem comigo! Observem como eu faço! Aprendam os ritmos livres da graça! Não vou impor a vocês nada que seja muito pesado ou complicado demais. Sejam meus companheiros e aprenderão a viver com liberdade e leveza. (Mateus 11.28-30)

O dia está repleto de possibilidades. A ordem de Jesus desperta-nos de uma timidez sonolenta. Ele não nos pede para ir ao mundo e conquistá-lo, mas nos chama a carregar o jugo com ele. Ele não nos pede para fazer algo que não promete fazer conosco. O convite para estarmos com ele é maior do que a ordem que nos envia ao mundo.

Como funciona o jugo de Jesus em sua vida?

“Vinde a mim, vós, cansados, e eu vos darei descanso. Ó bendita voz de Jesus, que vem aos corações oprimidos! Ela fala de bênção, de perdão, de graça e de paz, da alegria que não tem fim, do amor que não pode cessar.” Amém.

Retirado de Um Ano com Jesus [Eugene H. Peterson]

* CONFIANDO CONTINUAMENTE

Salmos 27:3 – Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nisto confiaria.

Confiar em bons resultados, quando tudo ao redor parece ajudar, é coisa muito fácil, sem grandes envolvimentos. A experiência do rei Davi com o seu Deus lhe ensinou uma postura inusitada: “Ainda que um exército inteiro me cerque, não terei medo. Inda que os meus inimigos me ataquem, continuarei confiando em Deus” (Salmo 27:3).

O verbo usado pelo salmista – “continuarei confiando” – revela a continuidade de sua experiência. Ele não escreveu –“começarei a confiar”. “Continuar” significa que já houve, no passado de experiências, situações de dificuldade nas quais Davi decidiu confiar no seu Deus, ao invés de no seu exército. Neste passado, apesar da força e da quantidade dos inimigos, depender do poder de Deus garantiu os resultados construtivos de vitórias. Por causa disso, o salmista raciocinou: se o Senhor já me salvou, não há razão para Ele deixar de me salvar.

Testar as promessas de Deus em nossa vida cristã é o caminho da vitória e do bem-estar espiritual. No verso 10, o salmo declara: “Ainda que meu pai e minha mãe me abandonem, o Senhor cuidará de mim”. Deixar de confiar na providência divina é mais inpensável e absurdo do que achar que pais amoráveis tenham a coragem de abandonar seu próprio filho. Vale a pena testar o poder de Deus em nossa vida. E vale muito a pena o continuar a confiar neste poderoso Senhor.

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

* DOMINADOS PELA FÉ

João 14:27 – Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

A hora da condenação e morte de Jesus estava se aproximando. Por isso, o Mestre achou por bem preparar espiritualmente Seus discípulos. “Deixo com vocês a paz. É a Minha paz que Eu lhes dou?: não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo” (João 14:27).

Jesus já sabia a intensidade do sofrimento dos Seus discípulos, no decorrer de Seu ministério terreno. Eles seriam agredidos pelo susto, pela incompreensão, pela maldade, pela injustiça deste mundo. No mínimo, teriam a reação do medo. A natureza humana dos discípulos de então é a mesma natureza de nós discípulos, nos dias de hoje. Continuamos a ser agredidos pelas forças do mal, permitidas por Deus. O poder da maldade que nos cerca continua criando em nós a conduta do medo.

Por que Jesus nos garante a Sua paz? Porque é a única realidade espiritual capaz de sobrepujar os estragos no nosso medo. É importante frisar: o que nos liberta da tragédia espiritual instilada pelo mundo não é nossa coragem – é assimilar e ser invadido pela paz construtiva do Espírito de Cristo. Não permitamos que o medo nos imobilize. Permitamos, pela fé, que o poder da paz de Cristo nos domine.

DEVOCIONAL  AMOR  EM CRISTO

* APELO

Salmos 50:15 – E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.

A família de Asafe escreveu um salmo muito descritivo de nossa vida espiritual. “E invoca-Me no dia da angústia? Eu te livrarei e tu Me glorificarás” (Salmo 50:15).

A Bíblia garante duas realidades, em nossa vida diária. De um lado, ela declara a existência da angústia. Do outro lado, ela nos ensina que Deus nos livra da angústia. O sentimento da angústia não é uma experiência superficial. Ele não é uma reação imatura, diante de problemas banais. A angústia vai sendo construída, à media que os problemas aumentam. Quando nada mais faz sentido em nossa vida, sentimo-nos imobilizados pela ideia de que “não tem saída”, de que “não adianta mais lutar”.

É o próprio Senhor Quem se apresenta como solução da angústia. Ele afirmou – “Eu te livrarei”. A intervenção do Senhor, entretanto, não é uma coisa imposta por Ele. Ela deve ser precedida, angustiosamente, por um profundo ato de fé: “invocai-Me”. Clamar pela intervenção divina, para muitos de nós, cheira à postura de entregar os pontos: “agora, a única saída é Deus…”. Só que é isso mesmo que a Bíblia nos ensina: Deus é a única saída. Deus entende a nossa angústia. A história do cristianismo nos apresenta uma lista infindável de angustiados que apelaram para o Senhor. E que, pela fé, ousaram pedir a intervenção de Deus. É deles a voz do imponente coral que, agradecido, glorifica o Senhor!

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

* ESTÁ PERTO

Talvez você possa se identificar com a criança que vi num terminal de aeroporto. Tudo na expressão do pai dizia Venha! Temos que correr se vamos alcançar a conexão. Será que o rapazinho consegue manter o ritmo? A mãe conseguia. Os irmãos mais velhos conseguiam. E o menino? Ele tentou acompanhar o ritmo de seus pais, mas não conseguia. Você pode se identificar? Às vezes o desafio é grande demais. Não é que você não tenta. Você simplesmente perde a força.

A história de Josué na Bíblia nos desafia a acreditar que os nossos melhores dias estão por vir. Uma vida na qual a Bíblia diz que não estamos ansiosos por coisa alguma, estamos sempre orando; uma vida na qual Paulo diz que estamos dando graças a Deus Pai por meio do Senhor. (Filipenses 4:6). Podemos tropeçar, mas não paramos. Deus tem uma terra prometida para tomarmos!

Max Lucado

 

* TERRA DAS PROMESSAS

Josué 21:45 diz “De todas as boas promessas do Senhor à nação de Israel, nenhuma delas falhou; todas se cumpriram.” Josué e seus homens foram de uma terra seca para a Terra Prometida, do maná para banquetes, de terra árida para campos férteis. Eles herdaram a sua herança: os dias de glória de Israel. Esta é a visão de Deus para sua vida. Você em velocidade máxima. Você como vencedor sobre os Jericós e os gigantes.

Paulo descreveu esta vida como uma em que o amor de Cristo “tem a primeira e a última palavra em tudo que fazemos”. (2 Coríntios 5:14 – A Mensagem). Uma vida em que Paulo diz que nós “não desanimamos” (2 Coríntios 4:16). Uma vida definida pela graça, refinada por desafios, e alinhada com o chamado celestial. No plano de Deus, na terra de Deus. As promessas de Deus valem mais que nossos problemas pessoais. Vitória se torna, se ousarmos imaginar, um estilo de vida! Seus dias de glória lhe aguardam!

MAX LUCADO

* TERRA QUE NOS FOI PROMETIDA

Deus falou. Josué escutou e os Dias de Glória de Israel começaram. O rio Jordão se abriu. As muralhas de Jericó ruíram. A maldade foi chutada e a esperança reiniciada. Josué 21:43 diz “Assim o Senhor deu aos israelitas toda a terra que tinha prometido… e eles tomaram posse dela e se estabeleceram ali. O Senhor lhes concedeu descanso de todos os lados…”

Talvez você precise de uma nova época. Você não precisa passar pelo rio Jordão, mas você precisa passar a semana. Você não está enfrentando Jericó, mas você está enfrentando rejeição e angústia. A história de Josué nos desafia a acreditar que Deus tem uma Terra Prometida para a gente tomar! Não são terras, mas o terreno do coração e da mente! Uma Terra Prometida… uma vida de terra prometida!

MAX LUCADO