* ESTÁ PERTO

Talvez você possa se identificar com a criança que vi num terminal de aeroporto. Tudo na expressão do pai dizia Venha! Temos que correr se vamos alcançar a conexão. Será que o rapazinho consegue manter o ritmo? A mãe conseguia. Os irmãos mais velhos conseguiam. E o menino? Ele tentou acompanhar o ritmo de seus pais, mas não conseguia. Você pode se identificar? Às vezes o desafio é grande demais. Não é que você não tenta. Você simplesmente perde a força.

A história de Josué na Bíblia nos desafia a acreditar que os nossos melhores dias estão por vir. Uma vida na qual a Bíblia diz que não estamos ansiosos por coisa alguma, estamos sempre orando; uma vida na qual Paulo diz que estamos dando graças a Deus Pai por meio do Senhor. (Filipenses 4:6). Podemos tropeçar, mas não paramos. Deus tem uma terra prometida para tomarmos!

Max Lucado

 

* TERRA DAS PROMESSAS

Josué 21:45 diz “De todas as boas promessas do Senhor à nação de Israel, nenhuma delas falhou; todas se cumpriram.” Josué e seus homens foram de uma terra seca para a Terra Prometida, do maná para banquetes, de terra árida para campos férteis. Eles herdaram a sua herança: os dias de glória de Israel. Esta é a visão de Deus para sua vida. Você em velocidade máxima. Você como vencedor sobre os Jericós e os gigantes.

Paulo descreveu esta vida como uma em que o amor de Cristo “tem a primeira e a última palavra em tudo que fazemos”. (2 Coríntios 5:14 – A Mensagem). Uma vida em que Paulo diz que nós “não desanimamos” (2 Coríntios 4:16). Uma vida definida pela graça, refinada por desafios, e alinhada com o chamado celestial. No plano de Deus, na terra de Deus. As promessas de Deus valem mais que nossos problemas pessoais. Vitória se torna, se ousarmos imaginar, um estilo de vida! Seus dias de glória lhe aguardam!

MAX LUCADO

* TERRA QUE NOS FOI PROMETIDA

Deus falou. Josué escutou e os Dias de Glória de Israel começaram. O rio Jordão se abriu. As muralhas de Jericó ruíram. A maldade foi chutada e a esperança reiniciada. Josué 21:43 diz “Assim o Senhor deu aos israelitas toda a terra que tinha prometido… e eles tomaram posse dela e se estabeleceram ali. O Senhor lhes concedeu descanso de todos os lados…”

Talvez você precise de uma nova época. Você não precisa passar pelo rio Jordão, mas você precisa passar a semana. Você não está enfrentando Jericó, mas você está enfrentando rejeição e angústia. A história de Josué nos desafia a acreditar que Deus tem uma Terra Prometida para a gente tomar! Não são terras, mas o terreno do coração e da mente! Uma Terra Prometida… uma vida de terra prometida!

MAX LUCADO

CASTELO FORTE

Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade. (Sl 46.1.)

É muito gostoso ler o testemunho de confiança em Deus do salmista. É muito bonito recitar de cor o testemunho de confiança em Deus do salmista. É muito saudável apropriar-se do testemunho de confiança em Deus do salmista.

Todavia, é preciso investigar a fundo se estamos prontos a personalizar o testemunho de confiança em Deus do salmista. Em vez de declarar que não temeremos “ainda que a terra trema” e que “os montes afundem no coração do mar”, deveríamos deixar bem claro que não temeremos ainda que nossos sonhos e planos afundem no coração do mar, ainda que nossa segurança financeira desabe de uma hora para outra, ainda que venhamos a ser surpreendidos por um câncer no cérebro, ainda que um filho morra num acidente de trânsito.

Parece que é mais fácil recitar o Salmo 46, que impulsionou Martinho Lutero a compor o famoso Castelo Forte é Nosso Deus, do que enfrentar com coragem os dissabores e os imprevistos da vida. Contudo, podemos ir avançando aos poucos na conquista de uma confiança cada vez maior, cada vez mais ousada, cada vez mais consciente. Até o ponto de orar como Habacuque orou: “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação” (Hc 3.17,18).

 

Retirado de Refeições Diárias com o Sabor dos salmos

* TERRA QUE TE FOI PROMETIDA

Deus tem uma terra prometida para você tomar posse!

Eu sentei do outro lado da mesa de um homem em plena crise de meia idade. Ele descreveu sua vida com palavras como parada, rotina, e encalhada. Ele é Cristão. Mas não consegue dizer qual foi a última vez em que venceu uma tentação ou teve uma oração respondida. Com vinte anos de fé ele ainda enfrenta as mesmas batalhas contra as quais estava lutando no dia em que se converteu a Cristo. É como se a porta para o crescimento espiritual tivesse uma fechadura e todo mundo tivesse a chave, menos ele.

Josué 21:43 diz “Assim o Senhor deu aos israelitas toda a terra que tinha prometido sob juramento aos seus antepassados, e eles tomaram posse dela e se estabeleceram ali”.

A terra prometida! A visão de Deus para sua vida. É sua, basta pedir. Desafios virão. O inimigo não cairá sem uma luta. Mas, seus dias de glória lhe aguardam!

MAX LUCADO

* ENTENDE NOSSAS AFLIÇÕES

Salmos 22:24 – ”Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem escondeu dele o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu.”

Aflição é mais do que um simples mal estar. Ela é o sentimento mais próximo do desespero. Nas várias aflições por que passou, Davi experimentou uma profunda verdade sobre aflição e providência: “Pois não menosprezou nem repudiou o sofrimento do aflito. Não escondeu dele o Seu rosto, mas ouviu o seu grito por socorro” (Salmo 22:24).

Cristãos sinceros também passam por aflição. Isso porque, segundo o alerta de Jesus, no mundo enfrentamos tribulações. Porque temos diferentes tipos de personalidade, de experiências de vida e de valores, apelamos para vários tipos e reação, no meio dos nossos sofrimentos. Ora, o Senhor ouve nossos gritos por socorro. Entretanto, nossa constatação de que o Senhor está ajudando nem sempre é clara e completa. Nestas circunstâncias, o medo de estarmos abandonados a nós mesmos sempre nos causa aflição.

No meio de nossas avalanches de sentimentos negativos, ouvir o testemunho bíblico daqueles que tiveram ajuda de Deus, tem o poder de nos arrebatar da nossa postura aflitiva. Não deve ser esquecido, porém, que a experiência dos outros não podem substituir nossa própria experiência. Por isso, no meio das aflições que nos desesperam, é essencial ter a ousadia de por em prática as soluções de Deus, que ajudaram os outros. Elas são também para nós. No dia de hoje!

DEVOCIONAL AMOR EM CRISTO

* FELIZ PÁSCOA!

Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado. (1 Coríntios 5:7)

A Páscoa envolve três momentos distintos e relacionados: escravidão – sacrifício – libertação.

O sacrifício é o evento central. Antes dele, escravidão. Depois dele, libertação. Para o sentido judaico da festa, as referencias são a escravidão sob os egípcios, o sacrifício que envolveu um cordeiro, chamado cordeiro pascal, e depois o nascimento da nação, agora livre para viver como um povo, desenvolver sua cultura e se estabelecer. Para o sentido cristão, a festa aponta para questões que estão além de dominação política ou trabalhos forçados. Apontam para o sentido da vida!

A festa cristã da páscoa declara a realidade do pecado como poder escravizador do ser humano. O pecado são ações e posturas que não correspondem ao padrão de Deus e caracterizam um estilo de vida independente de Deus. Por algum tempo podemos achar que está tudo bem, mas por fim, a vida de quem se esquece de Deus é vazia de significado. Ela pode dar certo sob critérios como conquistas materiais, prazeres ou poder. Mas não representa verdadeiramente a vida que fomos criados para desfrutar. O pecado é uma forma de escravidão que aprisiona nossa vida na pobreza espiritual.

Mas há o sacrifício. Jesus é o cordeiro pascal e ele foi sacrificado por nós. Não conseguimos entender isso adequadamente. Nos parece estranho e sem sentido a morte de Cristo. Uma das razões é porque nem mesmo entendemos adequadamente o significado do pecado em nossa vida. Mas a radicalidade do sacrifício deveria nos levar a concluir sobre a malignidade da escravidão. As Escrituras afirmam que Jesus morreu para que nós tivéssemos vida! Pela fé em Cristo somos libertos e, uma vez libertos, devemos desenvolver uma nova vida. Agora livres do domínio do pecado. Agora auxiliados pelo Pai Celeste para vencer a tentação. Agora a caminho de conhecer o verdadeiro sentido da vida. A Páscoa é uma celebração da mudança.

Por causa de Cristo você agora pode dizer “não” ao pecado que tão convincentemente lhe convida a mantê-lo entre seus hábitos. Por causa de Cristo, que pagou o preço de suas falhas você pode deixar o passado no passado, pode viver livre de culpas, pode aprender a olhar para a vida de forma diferente – do ponto de vista de Deus. Celebre sua Páscoa – diga não ao pecado. Celebre sua Páscoa – adore ao Senhor Jesus, o Cordeiro Pascal. Celebre sua Páscoa – escolha mudar!

DEVOCIONAIS DIÁRIOS