* AUTOCONTROLE E FÉ

“Certo dia Elizeu foi a Suném, onde havia uma mulher rica, que o reteve para comer. Todas as vezes que passava por lá, entrava para comer, então disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Disse Geasi: Ora ela não tem filho, e seu marido é velho. Então disse Elizeu: chama-a, e chamando-a ele, ela se pôs à porta, disse Elizeu: Por este tempo, daqui a um ano abraçarás um filho. Respondeu ela: não meu senhor, homem de Deus, não mintas a tua serva. Mas a mulher concebeu, deu à luz a um filho no tempo determinado, no ano seguinte, como Elizeu lhe dissera.

Tendo o filho crescido, certo dia saiu a ter com seu pai , que estava com os segadores. Disse a seu pai: ‘Ai, a minha cabeça! ai, a minha cabeça!’ Disse o pai dele a um dos moços: leva-o a sua mãe. Ele o tomou e o levou a sua mãe, e o menino esteve sobre os joelhos dela até ao meio-dia, e então morreu. Subiu ela e o deitou sobre a cama do homem de Deus, então fechou a porta e saiu. Chamou ela a seu marido, e disse: Manda-me um dos moços, e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus, e volte. Perguntou ele: Por que vais a ele hoje? Vai tudo bem.(II Reis 4:8-23).

O texto bíblico acima nos ensina muito sobre auto-controle, sabedoria e fé. A mulher em questão é uma sunamita (natural de Suném) , o problema que estava enfrentando é grave e desesperador – seu filho estava morto. Não estava apenas seriamente doente, estava literalmente morto. O quadro não permitia esperança, contudo,  a sunamita manteve a serenidade e buscou a solução para o impossível.

Ela não teve dúvida onde encontrar ajuda – a solução estava com Deus, então, ela dirigiu-se, sem vacilar, a Eliseu, um homem de Deus, um profeta de YAWEH. Nem com o próprio marido ela partilhou a situação, afinal o que ele podia fazer? A mulher estava convicta dos seu ato, ela iria buscar ajuda Naquele único que poderia reverter o dramático quadro.

Somente ao chegar diante do profeta, ela desmoronou. Ali, sim, ela podia despejar sua dor e desespero, estava defronte a um servo do Todo-Poderoso, ali era o lugar da ajuda. Depois de relatar o caso, Eliseu manda seu ajudante á casa da mulher, porém, ela permanece firme na intenção de levar ele próprio para ressuscitar o menino. Ela foi insistente, não se deteve perante a aparente decisão contrária de Eliseu.

No final da história, vemos a vitória da fé, da sobriedade e da sabedoria dessa mulher que obteve seu filho de volta à vida depois que o homem de Deus orou ao Senhor. Ela foi perseverante, sua postura lembra a de Jacó quando lutou com o anjo e lhe disse – “só o deixarei ir quando me abençoares!”

Da mesma forma Deus nos chama a agir diante dos nossos “impossíveis”. Temos que nos agarrar a Ele e somente Nele esperar (e desejar) a solução, a resposta.Temos que nos voltar para Ele e, por saber do Seu poder, misericórdia e amor, manter a calma. Nada de desespero, nada de perder o controle, nada de perder a esperança. A sunamita que o diga!

“Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá:” (Salmo 37.5)

Neuma Fernandes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s