* SIMPLICIDADE E MISTÉRIO

Tenho orado há muitos e muitos anos e posso falar muitas coisas sobre a oração, mas se só pudesse enfatizar um aspecto, diria às pessoas que ela é muito mais fácil do que pensamos. Quando Deus começou a me ensinar a orar, fiquei surpresa ao aprender que Ele não fez da oração algo complicado, mas que ela é realmente simples. Às vezes as pessoas transformam a oração em algo árido e difícil; às vezes nossa mentalidade e nossos sistemas  religiosos apresentam a oração de um jeito que ela parece ser algo fora do alcance da maioria de nós.

Pode acreditar, estou dizendo  a verdade quando digo que Deus deseja que tenhamos uma vida de oração natural e agradável. Ele quer que nossas orações sejam honestas e sinceras, e que a nossa comunicação com Ele independa de regras, regulamentos, legalismos, intermediários e obrigações. Ele deseja que a oração seja parte integrante da nossa vida — a parte mais fácil de nossa atividade diária.

Suspeito que muitas pessoas oram muito mais do que pensam e  que elas têm uma vida de oração muito mais eficaz e vitoriosa do que imaginam. Elas nem sempre percebem quando estão orando porque lhes foi ensinado que a oração requer determinado ambiente, certa postura e certa forma de expressão, ou então que precisam seguir estritamente certos princípios. Orar é simplesmente falar com Deus. Na verdade, podemos orar a qualquer hora, em qualquer lugar — até mesmo dirigir um pensamento a Deus pode ser considerado uma oração silenciosa.

Deus quer que você aprenda a orar com mais eficácia, e Ele deseja que você alcance mais realizações por intermédio da sua vida de oração. Estou certa de que algo  dentro de você quer aprofundar sua intimidade com Deus através da oração. Acredito que você saiba que a oração é poderosa e que anseie por ver o seu tremendo poder liberado em sua vida, nas vidas daqueles a quem você ama e nas situações que lhe dizem respeito.

Orações curtas e simples podem ser extremamente poderosas, mas isso não elimina o fato de que a oração é também um grande mistério. Watchmann Nee, um cristão chinês que escreveu muitos livros profundos enquanto esteve preso por causa de sua fé, declarou: “A oração é o ato mais maravilhoso da esfera espiritual, assim como um romance extremamente misterioso”.

O maior mistério da oração é o fato de que ela une o coração das pessoas ao coração de Deus. A oração é espiritual e penetra na esfera do invisível; ela extrai coisas dessa esfera invisível e as traz para a esfera em que as podemos ver, exatamente onde vivemos. Ela introduz bênçãos espirituais em nossa vida natural diária e faz com que um poder espiritual seja derramado sobre as circunstâncias terrenas que nos envolvem. Nós, seres humanos, somos as únicas criaturas no universo que podem permanecer na esfera natural e tocar a esfera espiritual.

Gosto de dizer que a oração abre a porta para Deus trabalhar. À  medida que colaboramos com Ele na esfera espiritual por meio da oração, trazemos as coisas dessa mesma esfera para dentro da nossa vida, do nosso mundo, da nossa sociedade, e para dentro da vida de outras pessoas. Tudo isso vem do céu, esses dons de Deus já estão  reservados para nós, mas nunca os possuiremos se não orarmos e pedirmos a Deus.

Joyce Meyer, em “O PODER DA ORAÇÃO SIMPLES”

* BENDITA SABEDORIA

“Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.” (Tiago 1:5)

O propósito da oração não é mover Deus para o nosso caminho. É de nos mover ao Seu caminho. É ir em direção ao que é a Sua vontade. Salomão disse: “eu preciso de sabedoria.” Era exatamente isso o que Deus queria que ele pedisse. Assim, o Senhor deu-lhe não só o que ele havia pedido, mas ainda mais.

Salomão descobriu que o objetivo da oração é fazer com que sua própria vontade fique alinhada com Deus. Isso é tão importante! Às vezes pensamos que através da oração iremos de alguma forma convencer Deus a fazer o que nós queremos que Ele faça. Eu tenho ouvido: “Eu estava lutando com Deus em oração.” Quem ganhou? Espero que tenha sido Deus. Se você está tentando lutar com Deus, você irá perder de uma forma ou de outra.

O que você diria se Deus viesse para você hoje à noite em um sonho e dissesse: “Eu te darei o que você quiser”? Sua resposta será uma indicação real de onde você está espiritualmente, de como você está se saindo na corrida espiritual.

Vemos que o coração de Salomão foi correto com Deus, porque ele disse: “Senhor, eu preciso de sabedoria. Estou oprimido com as minhas responsabilidades.”

Você já se sentiu assim? Você se sente oprimido por suas responsabilidades de pai, de mãe ou de trabalho? Você se sente desorientado sem saber que caminho seguir? Diga: “Senhor, dai-me sabedoria”. Ele o fará. Não há soluções mais coerentes, nem saídas mais certeiras do que aqueles que o Senhor ergue para nós. A sabedoria (que não é esperteza, não é ‘jogo de cintura’, não é astúcia) é viver na dependência de Deus, seguindo Seus princípios e andando em Seus caminhos. Todos podemos obter sabedoria, segundo a Bíblia, algo de valor inestimável, de fato o é. Peçamos ao Pai que a todos dará sem ressalvas.

A sabedoria nos faz pacientes, ponderados, moderados, cheios de dissernimento. A verdadeira sabedoria não vem dos livros (neles encontramos a erudição, que é ótima, mas não nos garante sabedoria), vem de Deus, fonte única e inesgotável.

Devocional Porta da Paz

* DEUS SEMPRE FAZ A COISA CERTA

“Deus sempre faz a coisa certa”. É essa a mensagem final  que podemos extrair da história de  Abraão.

Durante toda a história desse patriarca, vemos que suas experiências com Deus exalam a fidelidade divina. Ele explica que: Deus sempre faz a coisa certa, ainda que, para isso, leve muito tempo.

Quando passa muito tempo entre o momento em que Deus promete algo e o momento em que Ele cumpre Sua promessa, nós agimos como criancinhas que mal podem esperar pelo Natal. Não gostamos de esperar e temos medo de ser esquecidos. É fácil ver por que Abraão ficou impaciente. Quando tirou Abraão de Ur dos caldeus, Deus prometeu-lhe a terra de Canaã e muitos descendentes que se tornariam uma grande nação. Mas, depois de dez anos, Deus ainda não havia cumprido o que prometera.

Ele ainda não tinha um filho depois de dez anos e muitas provações, Abraão quis saber se o acordo continuava de pé. A Bíblia afirma: “Depois destes acontecimentos, veio a palavra do Senhor a Abrão, numa visão, e disse: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande… Então, conduziu-o até fora e disse: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posteridade. Ele creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça. (Gênesis 15:1,5,6) Mesmo depois dessa palavra de confirmação de Deus, Abraão ainda não sabia o que Deus estava tramando. Em um momento de dúvida, ele e Sara tentaram segurar as coisas em suas mãos gerando um filho por meio da criada de Sara. Mas os caminhos de Deus – e seu sentido de tempo – não são como os nossos. Ainda que o tempo possa parecer longo para nós, Deus sempre faz o que é certo e sempre cumpre Sua promessa. Abraão quer que nos lembremos disso. Deus sempre faz a coisa certa, ainda que o que Ele diz pareça absurdo.

Quando Deus disse a Abraão e Sara: “Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho”, Sara riu e disse: “Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:10,12). Embora logo negasse que tivesse rido, ela tinha uma boa razão para isso: Ela tinha 89 anos! Por que Deus esperou tanto para cumprir a promessa? A resposta é que Deus queria a total confiança de Abraão. E isso só acontece por meio da provação. Deus cumpriu sua promessa. No ano seguinte, Sara deu à luz Isaque – ainda que parecesse algo impossível. Nossa mente não consegue conceber todas as coisas que Deus é capaz de realizar. As palavras de Deus a Abraão resumem bem sua capacidade: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18:14)

A tremenda prova de confiança veio Abraão quando Deus lhe pediu para sacrificar seu amado filho, Isaque. Por que Deus queria que Abraão matasse seu filho da promessa? Isso não fazia sentido, era totalmente ao contrario da promessa de Deus que iria fazer de Abraão uma grande nação. Naquele momento Abraão não perguntou ou duvidou. Ele simplesmente se levanta cedinho para fazer o que foi pedido. Depois de muitos anos fazendo perguntas, ele finalmente tentou ser obediente. Ele tinha aprendido o segredo de andar com Deus: Confiança e obediência. Deus tinha sido fiel a cada promessa que fizera, então, Abraão passou a confiar no Seu caráter.

Meditando sobre a história de Abraão, percebemos que não devemos tentar entender Deus mas sim obedecê-Lo em primeiro lugar.

John C. Maxwell em “CORRENDO COM OS GIGANTES”

 

 

 

* GRANDE EXPECTATIVA

“Guarda os preceitos do Senhor, teu Deus, para andares nos Seus caminhos, para guardares os Seus estatutos, e os Seus mandamentos, e os Seus juízos e os Seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés, para que prosperes em tudo quanto fizeres e por onde quer que fores…”. I Reis 2:3.

Quando você orar, espere no Senhor. Isso significa ansiar por Ele, ter expectativas e esperanças em Deus, confiar ardentemente que Ele está fazendo grandes coisas a partir do que está acontecendo, mesmo que no momento você só veja dificuldades e impossibilidades.

Você não estará sendo passivo se optar em esperar no Senhor, muito ao contrário, estará AGINDO pela fé, estará exercendo a fé no Deus que age, faz. realiza. concretiza, ajuda, conduz, ensina e abençoa. Você estará em um estado de grande expectativa. Pois as ações de Deus são sempre muito maiores e melhores do que nossa imaginação pode supor.

Diga a Ele, “Deus, tenho minha esperança em ti. Creio que o Senhor está trabalhando em meus problemas. Creio que o Senhor está organizando minha vida e colocando anjos em todos os caminhos que o Senhor já sabe que irei passar. Muito obrigado(a), Senhor, por ter sido o pioneiro, ter preparado tudo antes de mim para que eu possa receber Tuas bençãos.”

Joyce Meyer, em “CONVERSA FRANCA SOBRE PREOCUPAÇÃO”

* UMA QUESTÃO DE EQUILÍBRIO

Chega uma hora em que temos que dizer: “sabe, Senhor, eu realmente não entendo isso. Mas sei que Tu entendes, Tu sabes de tudo e isso é o bastante”.

Você fica perplexo, desorientado e contrariado como o que não compreende? Renda-se à sua falta de entendimento e à onisciência divina. Fique sereno na certeza de que Deus não está perplexo, desorientado ou contrariado como você, mas que, ao contrário de você, Ele tem tudo sob controle, incluindo tudo que não faz sentido algum para você.

Precisamos saber nossos limites. Devemos aprender a modificar aquilo que podemos, aceitar com graça o que não podemos mudar, e viver em paz equilibrando esses dois fatores. Compreender a diferença entre esses dois polos é imprescindível para exercitarmos nossa fé no Senhor. Tudo é possível para Deus. Então, quando você se deparar com o irreversível, o desconhecido, o inexplicável e o incompreensível, não se desespere, não aja por sua própria força. Confie tais situações ao Deus do impossível, Ele sabe o que fazer.

Myles Munroe, em “RE-DESCOBRINDO A FÉ”

* AMOR, CRIATIVIDADE, DIVERSIDADE E PODER

É uma loucura pensar que a maioria das galáxias só foram descobertas nos últimos anos, graças ao telescópio Hubble. Elas já estavam no universo havia milhares de anos sem que os seres humanos sequer tivessem noção da existência delas. Por que Deus teria criado mais de 350 bilhões de galáxias (e esta é uma estimativa conservadora) que tantas gerações de pessoas jamais viram ou mesmo imaginaram existir? Você acha que era somente para que disséssemos: “Puxa, Deus é mesmo incrivelmente grande.”? Ou será que Deus desejava que víssemos aquelas fotografias e reagíssemos dizendo: “Quem eu penso que sou?”.

R. C. Sproul escreveu: “Os seres humanos nunca se dão conta ou se convencem de sua insignificância enquanto não são confrontados com a majestade de Deus”.

Você sabia que uma lagarta possui 228 músculos separados e distintos na cabeça? Para um inseto, até que é pouco. Um olmo, árvore muito comum na Europa e na América do Norte, tem, em média, 6 milhões de folhas. E, ao bombear sangue para circular por todo o corpo, o coração humano gera pressão suficiente para espirrar sangue a uma distância de até quase dez metros. (Nunca fiz esse teste, e também não o recomendo.)

Você já parou para pensar em como Deus é criativo e diversificado? Ele não era obrigado a criar centenas de tipos diferentes de bananas, mas criou. Não tinha de colocar 3 mil espécies diferentes de árvores em um espaço equivalente a uma milha quadrada da floresta amazônica, e mesmo assim Ele o fez. Deus não precisava criar tantos tipos de risadas. Pense a respeito dos diferentes sons de risadas de seus amigos — alguns deles chiam, outros roncam, riem em silêncio, fazem muito barulho ou produzem ruídos estranhos.

Que tal pensar em como as plantas desafiam a gravidade ao conduzir água de baixo para cima, a partir do solo, até chegar a seus troncos e ramos? Você sabia que as aranhas produzem três tipos de seda? Quando elas tecem suas teias, fabricam quase vinte metros de seda em apenas uma hora. Já parou para pensar no simples fato de as plantas reterem dióxido de carbono (que é prejudicial aos seres humanos) e produzirem oxigênio (do qual precisamos para sobreviver)? Tenho certeza de que você já sabia disso, mas já parou para se maravilhar diante dessa realidade? E essas mesmas plantas que ingerem veneno e produzem vida são geradas a partir de sementes minúsculas que foram espalhadas pela terra. Algumas foram regadas, outras não.

Sejam quais forem as razões de Deus para tanta diversidade, criatividade e sofisticação no universo, na terra e até mesmo em nosso corpo, o objetivo de tudo isso é a glória do Senhor. A arte divina fala a respeito de Deus, refletindo quem Ele é e como Ele é.

É por isso que somos chamados a adorar o Senhor. Sua arte, a obra de suas mãos e sua criação, tudo ecoa a mesma verdade: Deus é glorioso e poderoso. Não há nenhum outro como Ele. É o Rei dos reis, o Início e o Fim, Aquele que é, que foi e que há de vir. Sei que você já ouviu isso antes, mas não quero que deixe essa verdade lhe escapar.

Às vezes, sinto dificuldade em imaginar a maneira mais apropriada de reagir diante da magnitude de Deus em um mundo inclinado a ignorá-Lo ou, no máximo, tolerá-Lo. Mas saiba de uma coisa: Esse Deus não merece apenas nosso louvor, mas nossa incondicional confiança. Ele é poderoso para fazer coisas incríveis e inacreditáveis, o Seu Universo revela isso.

Sim, somos insignificantes comparados ao Senhor, mas somos, em toda a Sua criação, Seu bem maior, Ele nos ama mais que a tudo o que criou. Na verdade, Ele criou tudo o mais para nós. Creia no Seu amor, pois tudo isso Ele fez para vocẽ, Ele foi além, entregou Seu filho por nós. O que Ele não faria em atenção às nossas orações feitas com fé?

Francis Chan, em “LOUCO AMOR”

* NÓS ORAMOS, DEUS AGE

Um homem dormia à noite na sua casa no campo quando, de repente, a casa toda se encheu de luz e o Senhor apareceu. O Senhor disse ao homem que Ele tinha um trabalho para ele executar, e lhe mostrou uma rocha enorme perto da sua casa. O Senhor explicou que o homem deveria empurrar a rocha com toda sua força.

Cedo de manhã o homem começou a fazer isso. Ele continuou dia após dia. Por meses o homem se esforçou do amanhecer até o pôr do sol. Com seus ombros empurrava a superfície da rocha enorme e fria. Mas a rocha não saia do canto. Cada noite o homem retornava a sua casa, cansado, músculos doendo e se sentindo derrotado por não ter conseguido mover a grande rocha.

O homem estava mostrando sinais de desistência e se achou pensando “Estou tentando há muitos meses mover essa rocha e nunca consego mexê-la um centímetro. Para que estou me desgastando?
Isso não dará resultado nenhum.”

Mais tarde o homem começou a duvidar: “Será que Deus queria que eu continuasse esse tempo todo? Ele só disse para eu empurrar a rocha, Ele não disse por quanto tempo. Já faz vários meses que estou empurrando, talvez eu posso desistir agora. Pelo menos, eu não preciso empurrar o dia todo e com tanta força. Eu posso me dedicar uma parte do dia a este trabalho e passar o resto fazendo outras coisas.”

Antes de colocar sua decisão em prática, ponderou e resolveu primeiro orar ao Senhor sobre o caso.
“Senhor,” ele orou, “eu trabalhei duro e por muito tempo no serviço que o Senhor me deu. Eu dei toda minha força para conseguir o que o Senhor queria. Mas, depois desse tempo todo, ainda não consegui mover aquela rocha. O que está errado? Por que eu estou sendo derrotado?”

Para a surpresa dele, o Senhor respondeu com compaixão. “Meu amigo, quando eu lhe pedi para me servir e você aceitou, eu lhe disse que sua tarefa era de empurrar aquela rocha com toda sua força, o que você fez até agora. Em nenhum momento eu disse que eu esperava que você movesse a rocha. Sua tarefa era de empurrar. E agora você chega para mim pensando que fracassou. Mas, será que foi assim, mesmo?”

“Olhe para você mesmo,” disse o Senhor. “Seus braços estão fortes e musculosos. Suas costas agora estão bem desenvolvidas e vigorosas. Suas pernas estão duras e robustas; suas mãos firmes. Enfrentando a resistência você cresceu muito e agora suas habilidades ultrapassam em muito o que você era antes.

Mas, você ainda não moveu a rocha. Porém, essa não era a sua tarefa, e sim ser obediente e empurrar com toda sua força. Isso você fez, e fez bem. Ao contrário de ser um fracasso você foi bem sucedido e venceu. Eu apenas queria que você exercitasse sua fé e confiasse na minha sabedoria. Isso você fez. “Eu, meu filho, agora vou mover a rocha.”

Às vezes quando ouvimos uma palavra de Deus queremos usar nosso próprio raciocínio para decidir o que Ele quer, contudo, o que Deus realmente quer é apenas uma simples obediência, e fé nEle. Com certeza, devemos ter a fé que pode mover montanhas, mas lembrar ainda que quem de fato move as montanhas é Deus.

Portal Iluminalma